XI Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

cplpA XI Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP decorre, em Brasília, a partir de 31 de outubro até terça-feira, 02 de novembro, marcando a sucessão de Timor-Leste pelo Brasil na presidência da organização.

Na cimeira, os nove membros da CPLP deverão designar a próxima secretária-executiva, Maria do Carmo Silveira, indicada por São Tomé e Príncipe, depois de um acordo, proposto por Lisboa, que prevê que, no final do mandato de dois anos, caiba a Portugal apontar o nome para este cargo.

A Diretora Executiva do IILP, Marisa Mendonça, vai apresentar durante a XI conferência um relatório analítico das ações realizadas pelo Instituto Internacional da Língua Portuguesa – IILP, entre outubro de 2014 até o presente momento.

No ano em que a CPLP comemora 20 anos, o Brasil assumirá a presidência do grupo pelo próximo biênio, sucedendo a Timor-Leste. Ao mesmo tempo, haverá a discussão sobre a Declaração de Brasília, que estabelece o plano de trabalho da organização para os próximos anos. O tema da conferência é a CPLP e a Agenda para Desenvolvimento Sustentável em 2030.

“O encontro tem uma amplitude de temas muito grande, que podem ser tratados na sua transversalidade. Portanto, todos os ministérios já estão trabalhando para desenvolver atividades específicas nessas áreas, evidentemente, em cooperação com os demais países da comunidade”, disse o subsecretário para África e Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores Brasileiro, embaixador Fernando Abreu.

O novo secretário-geral das Nações Unidas, o português António Guterres, vai participar da abertura da conferência. “Ele terá a oportunidade de intercambiar opiniões e estudar planos específicos de cooperação com a CPLP e com os diferentes países do mundo”, disse o Embaixador.

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, a aprovação da nova visão estratégica da CPLP permitirá “abrir horizontes de desenvolvimento”.

A proposta foca-se na cooperação ao nível das sociedades civis, nomeadamente nas áreas da economia, energia e mobilidade, dá uma “nova atenção às dimensões de cidadania”, garante “centralidade à defesa da língua e ao papel do Instituto Internacional da Língua Portuguesa” e dá um “papel acrescido aos observadores associados”.

Durante a reunião de dois dias, os nove Estados-membros da CPLP terão oportunidade para fazer uma discussão sobre temas da agenda política.

Os responsáveis dos nove Estados-membros deverão também “tomar nota dos recentes desenvolvimentos” na Guiné-Bissau e da “boa notícia” da ratificação dos estatutos da CPLP pela Guiné Equatorial.

Nesta cimeira deverá ser aprovada a entrada de cinco novos observadores associados — República Checa, Eslováquia, Hungria, Costa do Marfim e Uruguai -, que se juntam à ilha Maurícia, Namíbia, Senegal, Turquia, Japão e Geórgia.

A sessão de abertura da XI conferência de Chefes de Estado e de Governo acontece na tarde do dia 31 de Outubro, seguindo-se o debate geral em torno da Agenda 2030: Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Acesse ao vivo a XI Conferência, clique em https://www.youtube.com/watch?v=Bv5TV1xy3bk&feature=iv&src_vid=cHvcuqMVHu0&annotation_id=channel%3A580e8ee6-0000-2a60-b1fc-001a11c1662e

Fonte colaborativa: Notícias ao minuto – Blogue do Planalto via Blogue do IILP

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Revista Platô

Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo