Tese investiga aspectos metodológicos e papel político-linguístico de censo, diagnóstico, inventário e observatório linguísticos

Tese investiga aspectos metodológicos e papel político-linguístico de censo, diagnóstico, inventário e observatório linguísticos

Ana Paula Seiffert, ao centro, na defesa de sua tese.

Ana Paula Seiffert, ao centro, na defesa de sua tese.

A tese de doutorado intitulada Censo, diagnóstico, inventário e observatório linguísticos: aspectos metodológicos e papel político-linguístico foi defendida no dia 16 de dezembro, em Florianópolis-SC, por Ana Paula Seiffert, aluna do Programa de Pós-Graduação em Linguística, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sob a orientação do Prof. Dr. Gilvan Müller de Oliveira.

Seiffert, pesquisadora do IPOL desde 2008, coordenou, com Rosângela Morello, o projeto-piloto e o livro do Inventário da Língua Guarani Mbya (2009-2011) e já havia defendido na UFSC, em 2009, a dissertação de mestrado Línguas brasileiras de imigração faladas em São Bento do Sul (SC): estratégias para revitalização e manutenção das línguas na localidade. Atualmente coordena o projeto Receitas da Imigração – Língua e Memória na Preservação da Arte Culinária (parceria entre o IPOL e o IPHAN), que objetiva mostrar as relações identitárias de falantes de línguas de imigração em Santa Catarina.

Em breve disponibilizaremos o arquivo com o texto da tese.

Receba o Boletim
Facebook
Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo