Tecnologia assistiva: conheça recursos de acessibilidade e inclusão

Iniciativas facilitam a navegação de deficientes no Brasil, tornando a internet um espaço ainda mais adequado para busca de informação.

Em outras palavras, a tecnologia assistiva é o termo usado para definir iniciativas em acessibilidade para deficientes com o intuito de promover inclusão social. E os avanços no mundo digital, claro, englobam o conceito.

Plataformas, sites, navegadores e mapas são bons exemplos do que já existe de recurso assistivo na internet. São muitas funcionalidades, afinal, segundo o GARI, quase uma em cada cinco pessoas no mundo vive com algum tipo de deficiência reconhecida.

Leitores de tela

A grande maioria dos sites na web segue recomendações internacionais para a inclusão de cegos. Entres os recursos mais comuns estão as descrições de imagens e a possibilidade de alterar o tamanho da letra e de ajustar o contraste. Esses mecanismos também facilitam a navegação de pessoas com problemas de visão, além da cegueira completa.

Outra opção bastante comum para cegos são os leitores de tela. Existem diferentes softwares no mercado que executam exatamente essa função de reproduzir o conteúdo de um site em aúdio. Assim, quem não enxerga pode navegar através do som.

Entre os softwares mais comuns para leitura de tela estão Jaws, Virtual Vision e Window-Eyes, opções pagas para Windows;  NVDA, gratuito para Windows; Orca, gratuito para Linux e VoiceOver, para iOS, instalado em dispositivos Apple.

Conteúdos em LIBRAS

Para atender aos deficientes auditivos, existe o Vlibras. A sistema operacional traduz informações digitais em português, como textos, áudio e vídeos, para a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

O acesso ao Vlibras é bem simples: depois de baixar o software, basta selecionar e clicar no conteúdo para que o mesmo seja interpretado e traduzido. A funcionalidade é gratuita e disponível para desktop, tablets e smartphones.

Destaque em tecnologia assistiva

Uma iniciativa bem interessante de tecnologia assistiva atende por GARI (Global Accessibility Reporting Initiative). A plataforma é voltada tanto para o público que tem deficiência e precisa de ajuda quanto para desenvolvedores, e funciona mais ou menos como um buscador sobre acessibilidade.

Através do GARI é possível encontrar smartphones adequados a necessidade da pessoa com deficiência. O portal ajuda a pesquisar os melhores aparelhos, fazendo um comparativo dos recursos disponíveis entre os celulares selecionados. Já os desenvolvedores podem consultar o GARI para obter informações sobre quais são os recursos indicados para melhorar a acessibilidade no momento de construir um site ou aplicativo, por exemplo.

Mapas acessíveis

A Google já começou a incluir informações sobre acessibilidade no Google Maps. A ideia é que cadeirantes possam verificar se a localização por qual procuram é acessível ou não. A atualização do aplicativo também é voltada para mães com carrinhos de crianças e qualquer pessoa com dificuldade de locomoção. Por enquanto, o recurso está disponível apenas nos Estados Unidos.

Fonte: Vivo Tech

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo