Tecnologias e Línguas

Educadores criam app que resgata alfabeto angolano

Serviço Lançamento do app Alfabantu
Crédito: divulgação

Projeto desenvolvido por professores negros mostra novas práticas educacionais por meio da tecnologia

Para resgatar e exaltar a ancestralidade de povos africanos, os educadores Odara Dèlé, de 29 anos e Edson Pereira, de 31 anos, lançam, no próximo dia 21 de novembro, o aplicativo Alfabantu, voltado ao público infantil, para auxiliar na alfabetização por meio de jogos digitais através da língua falada pelo povo kimbundu. O aplicativo estará disponível, inicialmente, para sistema Android e o download é gratuito.

A cerimônia de lançamento acontece Ação Educativa, com uma mesa sobre “Tecnologias e Línguas Africanas” com participação dos criadores do projeto e de Carlos Machado e Mwalala Kalele. A entrada é gratuita. Continue lendo

Ronaldo Tenório, empreendedor digital: “O surdo vive como estrangeiro dentro de seu país”

Alagoano, escolhido pelo Massachusetts Institute of Tecnology (MIT) um dos jovens mais inovadores do mundo, veio ao Rio para seminário no Museu do Amanhã.

“Tenho 31 anos, moro em Maceió e sou publicitário, com especialização em Comunicação Estratégica. Sempre gostei de misturar tecnologia e comunicação. Na faculdade, tive a ideia de facilitar a comunicação com os portadores de deficiência auditiva. Criei um aplicativo que faz a tradução para a Língua Brasileira de Sinais.”

Conte algo que não sei.

No Brasil, 70% dos deficientes auditivos têm dificuldade com o português. A gente aprende a ler e escrever pela fonética: vai ouvindo, falando e escrevendo. Como o surdo não tem a fonética, encontra dificuldades para relacionar a escrita ao som, e as palavras viram coisas soltas. A experiência da comunicação visual faz muito mais sentido. Continue lendo

Professora e músico de Domingos Martins lançam CD inédito em pomerano

Iago Miranda

Domingos Martins, mais uma vez, se destaca na defesa da cultura pomerana. Com objetivo de incentivar o aprendizado dessa língua nas escolas, um CD de músicas infantis tradicionais produzido pela professora Lilia Jonat Stein será lançado hoje, às 10hs, durante a Kinderfest, em Campinho.

O álbum “Rememorar para Ressignificar”, que tem 20 faixas e duração aproximada de 32 minutos, foi criado com apoio de um edital da secretaria de Estado de Cultura. O trabalho contou com a parceria do experiente músico martinense, Eden Schwambach Junior, 48.

Continue lendo

UEG passa a ser um dos núcleos de línguas do Programa Idiomas Sem Fronteiras

Fonte: Mais Goiás

Com a nova configuração, os alunos da UEG poderão ter acesso ao My English Online (MEO), uma plataforma de estudo e nivelamento de inglês

A forma de vinculação da Universidade Estadual de Goiás (UEG) com o Programa Inglês Sem Fronteiras (IsF) mudou. Agora a instituição vai integrar a rede nacional de universidades que são Núcleo de Línguas (NucLi).

De acordo com Rodrigo Sobreira da Assessoria de Relações Externas (Arex|UEG), até o início de 2017, o Idioma Sem Fronteiras era um programa exclusivo das universidades federais e a UEG participava apenas como Centro Aplicador de provas do TOEFL ITP, que são exames de proficiência oferecidas gratuitamente pelo Ministério da Educação (MEC).

Continue lendo

Tecnologias no Universo dos Surdos e da Libras

No Brasil existem mais de 10 milhões de pessoas com problemas auditivos. Sim, quase 5% da população total. Grande parte destes, são completamente surdos.

São inúmeros os desafios que um surdo apresenta no dia-a-dia. Embora os problemas associados com uma completa falta de audição possam parecer óbvios, há uma miríade de obstáculos específicos diários e específicos, os surdos têm que lidar, como se comunicar no escuro ou lidar com o preconceito.

No âmbito profissional, podemos citar como barreira as práticas de negócios que reduzem o acesso aos cidadãos surdos e com deficiência auditiva no mercado de trabalho.

Continue lendo

O que comentários em duas músicas no YouTube revelam sobre as línguas irlandesa e lapã

Captura de tela do vídeo em gaélico de Avicii Vs Lurgan – “Wake me up”

Uma versão desse artigo foi originalmente publicada no r12n na Medium. 

Existem no YouTube inúmeros covers amadores de músicas populares, desde adolescentes tocando guitarra em seus quartos a bandas de garagem se apresentando em bares da cidade. Poucos desses covers, todavia, conseguem milhões de visualizações ou reconhecimento e elogios dos artistas originais.

Alguns anos atrás, estudantes irlandeses postaram um cover do famoso hit “Wake Me Up” do DJ sueco Avicii, que se tornou sensação mundial. O interessante é que o vídeo é todo na língua irlandesa (irlandês ou gaélico), e logo virou o vídeo em gaélico mais acessado do YouTube.

Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo