Tecnologias e Línguas

Estudantes criam aplicativo que traduz sinais de Libras para o alfabeto gráfico

Larissa e Rafhael mostram resultado do TCC, que também funciona como rede social para interação entre pessoas interessadas na linguagem

Sistema foi desenvolvido em faculdade de Araçatuba

A tela do celular mostra uma pessoa. A cena capturada lembra a imagem de alguém em pose para uma fotografia, porém o objetivo é outro. O sistema reconhece os gestos feitos com as mãos de quem é filmado e os transforma em letras gráficas. Esse é o funcionamento do aplicativo Hands Free, desenvolvido como TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) por dois estudantes de tecnologia em análise e desenvolvimento de sistemas da Fatec (Faculdades de Tecnologia) de Araçatuba.

Continue lendo

App educacional disponibiliza ‘Turma da Mônica’ em línguas estrangeiras

As versões em inglês, espanhol e francês dos quadrinhos da Turma da Mônica agora estão disponíveis na plataforma LingoZING!. O intuito do programa é incentivar a educação e tornar o aprendizado de línguas estrangeiras mais fácil para crianças e adolescentes.

“O uso da tecnologia está presente em outros processos, então pensamos que a inclusão da Turma da Mônica no meio digital é essencial”, afirmou Maurício de Sousa, criador da empresa, à GALILEU. Continue lendo

Documentário sobre acessibilidade estreia em Porto Alegre

?Todos? entra em cartaz na Casa de Cultura Mário Quintana, em 1º de dezembro

Marilaine Castro da Costa

Acessibilidade, diversidade, inclusão e inserção social são alguns dos temas tratados no documentário ‘Todos’, que estreia em 1° de dezembro na Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 762), em Porto Alegre. A produção acompanha o historiador gaúcho com baixa visão Felipe Mianes, por várias cidades do Brasil e do exterior discutindo sobre o assunto.

Realizado pela produtora gaúcha Accorde Filmes, o filme será exibido com recursos de audiodescrição, Língua Brasileira de Sinais (Libras) e legendas.  Com sessões diárias às 19h15, na Cinemateca Paulo Amorim, da Casa de Cultura Mario Quintana, a película aborda as barreiras enfrentadas pelas pessoas que necessitam de cuidados especiais e como elas lidam diariamente com isto.

Continue lendo

Novos aplicativos para crianças e surdos estão disponíveis

O Ministério da Educação criou dois novos aplicativos para celulares que podem ser baixados gratuitamente. O TV Escola Criança tem conteúdo voltado para meninas e meninos entre seis e oito anos de idade. Já o Primeira Mão é um jornal bilíngue, na Língua Brasileira de Sinais (Libras) e português, com as principais notícias do país e do mundo. Ambos já estão disponíveis para download nas lojas virtuais dos sistemas iOS e Android.

O aplicativo para as crianças contém toda a programação infantil da TV Escola, com produções educativas nacionais e estrangeiras, que instigam a curiosidade em diversas áreas do conhecimento. A navegabilidade é fácil e intuitiva. Continue lendo

Educadores criam app que resgata alfabeto angolano

Serviço Lançamento do app Alfabantu
Crédito: divulgação

Projeto desenvolvido por professores negros mostra novas práticas educacionais por meio da tecnologia

Para resgatar e exaltar a ancestralidade de povos africanos, os educadores Odara Dèlé, de 29 anos e Edson Pereira, de 31 anos, lançam, no próximo dia 21 de novembro, o aplicativo Alfabantu, voltado ao público infantil, para auxiliar na alfabetização por meio de jogos digitais através da língua falada pelo povo kimbundu. O aplicativo estará disponível, inicialmente, para sistema Android e o download é gratuito.

A cerimônia de lançamento acontece Ação Educativa, com uma mesa sobre “Tecnologias e Línguas Africanas” com participação dos criadores do projeto e de Carlos Machado e Mwalala Kalele. A entrada é gratuita. Continue lendo

Ronaldo Tenório, empreendedor digital: “O surdo vive como estrangeiro dentro de seu país”

Alagoano, escolhido pelo Massachusetts Institute of Tecnology (MIT) um dos jovens mais inovadores do mundo, veio ao Rio para seminário no Museu do Amanhã.

“Tenho 31 anos, moro em Maceió e sou publicitário, com especialização em Comunicação Estratégica. Sempre gostei de misturar tecnologia e comunicação. Na faculdade, tive a ideia de facilitar a comunicação com os portadores de deficiência auditiva. Criei um aplicativo que faz a tradução para a Língua Brasileira de Sinais.”

Conte algo que não sei.

No Brasil, 70% dos deficientes auditivos têm dificuldade com o português. A gente aprende a ler e escrever pela fonética: vai ouvindo, falando e escrevendo. Como o surdo não tem a fonética, encontra dificuldades para relacionar a escrita ao som, e as palavras viram coisas soltas. A experiência da comunicação visual faz muito mais sentido. Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo