plurilinguismo

[Luxemburgo] PLURILINGUISMO A PARTIR DE OUTUBRO NAS CRECHES (C/ÁUDIO)

A diversidade linguística vai ganhar mais destaque nas creches, no próximo ano letivo.

Desde o início do mandato do atual Governo, que o ministro da Educação, Claude Meisch, sublinha a importância da aprendizagem do luxemburguês e do francês nas creches, sem esquecer a valorização da língua materna.

A pequena infância é uma fase particularmente propícia à aprendizagem das línguas.

Segundo vários estudos, as crianças conseguem aprender várias línguas de forma intuitiva e natural.

Daí o Governo ter achado necessário introduzir, nas creches, a partir do mês de outubro de 2017, um programa educativo multilingue para as crianças, de 1 a 4 anos.

{ouça os áudios aqui}

O principal objetivo é familiarizar as crianças com o luxemburguês e o francês, diz o ministro da Educação. Valorizar e favorecer o desenvolvimento da língua materna é outro dos objetivos desta medida. Claude Meisch acrescenta que as crianças vão ser encorajadas a exprimir-se na sua língua materna. Outro ponto essencial para o sucesso deste programa de educação multilingue é a participação dos pais. {ouça os áudios aqui}

“Fazê-las ouvir hoje as línguas que falarão amanhã” é o lema deste programa de diversidade linguística.

Todas as crianças de 1 a 4 anos beneficiam de um enquadramento gratuito de 20 horas por semana, durante 46 semanas {ouça os áudios aqui}A Rádio Latina falou ainda com Cindy Martins de Oliveira, diretora de uma creche em Strassen, que participa desde Abril do ano passado num projeto piloto, já com o plurilinguismo introduzido.

A diretora sublinha que já se falavam várias línguas na creche, antes do projeto, só que agora as coisas são feitas de forma mais consciente. O reforço da diversidade linguística é válido a partir de outubro de 2017 em todas as creches e outras estruturas que aderiram ao sistema do “cheque-serviço”.

Redação Latina

Fonte: Rádio Latina

IPOL Convida | Lançamento Documentário “Receitas da Memória”

O Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística – IPOL, convida para o lançamento do Documentário RECEITAS DA MEMÓRIA, realizado na região do Médio Vale do Itajaí, apresentando histórias, memórias e receitas de falantes das línguas de imigração da região. O fio que percorre a narrativa é o da alimentação e das receitas familiares mantidas há anos, ajudando a preservar a história e a memória das comunidades alemãs, italianas e polonesas como importante patrimônio cultural e linguístico do Brasil.
 
O documentário é uma produção do IPOL através do Edital PNPI/IPHAN 2014.
 
18h | abertura
18:30h | exibição
19 :30h | Debate com especialistas: “Para que documentar línguas, memórias e receitas?”

Dúvidas, fale conosco:

ipol.comunicacao@gmail.com

ipol.secretaria@gmail.com

Facebook: IPOL

As 9 Línguas mais faladas em Angola

Fonte: PLUMANGOLA

Fonte: PLUMANGOLA

Angola a língua oficial é o português.

Mas algumas regiões têm o estatuto de línguas nacionais, sendo as mais faladas:

Kikongo, Kimbundo, Tchokwe, Umbundo, Mbunda, Kwanyama, Nhaneca, Fiote, Nganguela etc.

 

 

 

Fonte: PLUMANGOLA

Plurietnia e plurilingüismo no Brasil: o direito indígena à educação em sua própria língua

Entrevista de Aryon Rodrigues ao programa Tome Ciência (Rádio USP ). O arquivo sonoro está disponível no site ‘Canal Ciência’, do IBICT, que não deixa clara a data em que a entrevista ocorreu. Os programas foram produzidos de 1984 a 1989. O site inclui ainda vários outros programas interessantes (com temas arqueológicos, antropológicos etc.) nas seções “Amazônia e questões indígenas” e “História, filosofia, sociologia e antropologia”. [Para ouvir a entrevista, clique no player aqui.]

Fonte: Biblioteca Digital Curt Nimuendajú

REBEP – Revista Brasileira de Estudos da População lança número 32

capa_rebepv32n2_s4A REBEP – Revista Brasileira de Estudos da População divulga o número 32/2016. Neste número, destaque aos textos da pesquisadora Rosângela Morello, que publica o texto Censos nacionais e perspectivas políticas para as línguas brasileiras e ao texto Avanços na captação de dados sobre a população indígena no Censo Demográfico 2010, da pesquisadora Nilza de Oliveira Martins Pereira.  Os textos lançam olhares importantes ao Censo de 2010

Leia os textos completos e conheça outros artigos presentes no número em: https://www.rebep.org.br/revista/index

 REBEP é uma publicação da Associação Brasileira de Estudos Populacionais criada em 1984. Trata-se do único periódico publicado no Brasil que tem por objetivo estimular e difundir a produção brasileira sobre demografia e população e desenvolvimento sustentável, assim como garantir o diálogo entre este campo e áreas afins. Em 2005, a REBEP passou a integrar a rede SciELO, o que permitiu maior disseminação do conhecimento publicado na revista, tanto no âmbito nacional como no internacional. A REBEP também está disponível na Scopus e indexada no SJR, assim como em outras bases de dados científicas.

Email de contato é E-mail: rebep@rebep.org.br.

Site da revista: https://www.rebep.org.br/revista/index

Fonte: Site Rebep/IPOL Comunicação

 

 

Universidade Nacional de Córdoba: III Jornadas Internacionais Descobrindo Culturas em Língua Portuguesa 2016

cordobaAcontece entre os dias 14,15 e 16 de novembro de 2016 na Faculdade de Línguas da Universidade Nacional de Córdoba, a III Jornadas Internacionais Descobrindo Culturas em Língua Portuguesa 2016 DCLP – Mundos e modos no espaço da Lusofonia.

O evento promoverá conferências, debates, entrevistas e atrações culturais. Entre os conferencistas, destaque à presença da Profa. Dra. Marisa Mendonça, diretora executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com sede em Cabo Verde. Nascida em Moçambique, Marisa Mendonça é Doutora em Educação/ Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Brasil.

Continue lendo

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo