multilinguismo

Universidade venezuelana promove programa de formação de professores de português

A Universidade Pedagógica Experimental Libertador (UPEL) criou um programa piloto para formar professores de língua portuguesa, na cidade venezuela de Maracay (100 quilómetros a oeste de Caracs) e responder à crescente procura do ensino do português no país.

“Estamos entusiasmados porque daremos resposta a uma necessidade que está contemplada na Lei de Educação de Venezuela, para incluir a língua portuguesa desde o ensino primário venezuelano”, explicou Joyce Muñoz.

Em declarações à Agência Lusa, a coordenadora do ensino de línguas na UPEL explicou que “a formação de professores de português é um projeto novo, único na Venezuela”.

“Nas outras universidades os alunos formam-se como professores de inglês e francês, e ficam com algum domínio de outras línguas, aqui somos pioneiros na atualização pedagógica e por isso impulsamos este projeto”, frisou. Continue lendo

O inglês… mesmo que sem acordos ortográficos

Na Eurovisão tivemos a busca efémera do sucesso a sobrepor-se à soberania da língua. Sinal dos tempos…

Continue lendo

O Google Maps está agora disponível em 39 novos idiomas

Tenha em mente que há um total de 6.909 idiomas vivos registrados no catálogo Ethnologue. Muitas das línguas que o Google escolheu para adicionar hoje são faladas por grandes populações. O suaíli, em particular, tem 8% do continente africano falando, enquanto o turco é falado por 9% das pessoas na Europa.

O Google Maps está agora disponível em 39 novos idiomas O Google Maps agora está disponível em 39 novos idiomas, anunciou a empresa hoje em um post no blog . Esses idiomas – incluindo o africâner, o dinamarquês, o filipino, o hebraico, o islandês, o mongol, o sérvio, o eslovaco, o suaili, o turco e o vietnamita, para citar alguns – são falados por cerca de 1,25 bilhão de pessoas. Continue lendo

Festival de Francofonia ocorre este mês

Mostra de cinema e shows culturais compõem a programação do evento
O Festival da Francofonia em Brasília chega à sua 21ª edição este ano e iniciou com uma extensa programação cultural. Entre as atrações está o cantor francês Mathieu Boogaerts, que fez show gratuito no CCBB Brasília.

Para este ano, o grande diferencial do festival promete ser a programação musical, com ícones da França e da Bélgica. Outra novidade é exibição de filmes inéditos no Brasil, na tradicional mostra de cinema francófona.

“Fazer um evento deste em Brasília é uma forma de defender a diversidade e plurilinguismo”afirma Mathieu Bernard, um dos organizadores do evento.

Professora ganha prêmio de US$ 1 milhão após aprender 35 idiomas para acolher alunos

Global Teazher Prize, espécia de Oscar dos professores, teve um brasileiro entre os finalistas

Uma britânica, que dá aula de artes e aprendeu o básico de 35 idiomas para acolher melhor seus alunos que vieram de várias partes do mundo, foi a vencedora do prêmio de melhor professora do mundo. A premiação chamada Teacher Global Prize, foi anunciado neste domingo, 18, em Dubai, de 39 anos, receberá US$ 1 milhão pela conquista.

 Espécie de Oscar dos professores, a cerimônia é promovida pela Varkey Foundation, entidade com atuação internacional em educação. A premiação tem o objetivo de incentivar os professores com trabalhos de impacto social. 
Andria dá aula na escola secundária de Alperton, em Brent, um distrito de Londres, conhecido como um dos lugares com maior diversidade étnica do país. A professora conta que seus alunos vem das famílias mais pobres do Reino Unido, muitas morando em casas que são divididas por até cinco famílias e expostas à violência de gangues. Brent tem a terceira maior taxa de homicídios do país.  Continue lendo

“Disseminar a filosofia e o objectivo do ensino bilingue” pode ajudar as comunidades a entendê-lo

As calorosas discordâncias e discussões de que o ensino bilingue em Moçambique tem alvo começam a ficar para atrás e já se vislumbram resultados promissores, concluíram, semana finda, os diferentes intervenientes na implementação deste projecto, reunidos na II conferência nacional sobe educação bilingue. Todavia, reconheceram que ainda há desafios para assegurar que se tenha alunos mais participativos nas salas de aula e aprendam, efectivamente, nas suas próprias línguas maternas e não apenas num único idioma (português) que lhes é, muitas vezes, estranho.

Alguns desses desafios são a falta de vocabulário próprio, elevados custos para assegurar a implementação do ensino bilingue e a multiplicidade das línguas maternas. Esta situação faz surgir um outro problema, o de padronização para que se saiba, efectivamente, o número exacto das mesmas. Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo