Línguas Indígenas

O Brasil de Todas as Línguas, na Faculdade de Letras da UFRJ

Acontece amanhã, dia 28, na Faculdade de Letras da UFRJ, o evento O Brasil de todas as Linguas.

brasil

 

Quase metade das escolas indígenas não tem material didático específico

material

Censo Escolar de 2015, do Ministério da Educação, mostra que pouco mais da metade, 53,5%, das escolas indígenas têm material didático específico para o grupo étnicoDivulgação Prefeitura de Maricá/Fernando Silva

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil

Edição: Graça Adjuto

Ir para a escola e assistir aulas em outro idioma, não conhecer a própria história, aprender a história de outro povo e ter exemplos estranhos à realidade em que se vive é uma situação que parece irreal. No entanto, é assim que são educadas muitas crianças e jovens indígenas. Os últimos dados do Censo Escolar de 2015, do Ministério da Educação (MEC), mostram que pouco mais da metade, 53,5%, das escolas indígenas têm material didático específico para o grupo étnico.

Continuar lendo

Cursos de licenciatura elevam autoestima e fortalecem cultura das populações indígenas

agcom

Os 87 alunos que participaram da primeira turma formada pela UFSC acreditam que o curso fortalece sua cultura (Foto: Henrique Almeida/Agecom/DGC/UFSC)

Os cursos de licenciatura indígena ofertados pelas universidades públicas, além de distintos entre si, respeitam as diferenças interculturais e territoriais de cada etnia. Atualmente existem mais de 20 cursos de licenciatura indígena em nosso país, exclusivo para essas populações.

No próximo dia 25 de abril começam as aulas da segunda turma do curso de licenciatura intercultural indígena do Sul da Mata Atlântica. A graduação está ligada ao Centro de Filosofia e Ciência Humanas do Departamento de História da Universidade Federal de Canta Catarina (UFSC), mas recebe alunos dos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Espirito Santo.

Continuar lendo

Abertura da 2ª turma do curso Licenciatura Indígena da UFSC

licenciaturaufscA cerimônia em comemoração à abertura da 2ª turma do curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica será realizada nos dias 25 e 26 de abril no auditório do CFH/UFSC. Os estudantes – que são indígenas dos povos Guarani, Kaingang e Xokleng-Laklãnõ – iniciarão as aulas na tarde da terça-feira, 26 de abril. A primeira turma de alunos do curso ingressou em 2011 e se formou em abril de 2015.
No dia 25, às 16h, ocorrerá a mesa Licenciatura Intercultural Indígena na UFSC: 10 anos de conquistas e desafios, coordenada pela professora Maria Dorothea Post Darella, com a presença dos ex-coordenadores do curso. No dia 26, às 10h, será realizada a cerimônia de abertura do semestre, a qual participará a coordenadora do curso de Licenciatura Indígena, Antonella Maria Imperatriz Tassinari, e da vice-reitora da Universidade, Lúcia Helena Pacheco.
Mais informações e programação no site: licenciaturaindigena.ufsc.br

Fonte: Notícias da UFSC

Ex-aluno indígena e professor da UEMS lançam E-book de língua guarani

ebook

Foto: Imprensa/ UEMS

A língua valoriza e fortalece a identidade étnica de um povo”, afirma o ex-aluno indígena da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Tonico Benites, um dos autores do E-book Avañe’e, de língua guarani. A edição foi lançada pela editora da instituição, em homenagem ao Dia do Índio, comemorado nesta terça-feira (19).

Acesse aqui o E-book Avañe’e.

O professor Dr. Adilson Crepalde, do curso de Letras da unidade de Dourados da UEMS, também está entre os autores do E-book, juntamente com o indígena Adão Ferreira Benites. Segundo o docente, o conteúdo é voltado para o aprendizado da língua guarani por não-índios.

Continuar lendo

Palestra no Museu do Amanhã no Rio: Existe Amanhã para as línguas indígenas?

museudo amanha

Foto: Museu do amanhã

A diversidade brasileira é conhecida pela variedade de flora, fauna e ecossistemas, mas pouco se sabe sobre nossa diversidade linguística. São mais de duzentas línguas faladas no país, a grande maioria – pelo menos 190, segundo a Unesco – indígena. O número pode parecer grande, mas, antes da chegada dos europeus, a estimativa é que mais de 1.500 línguas fossem faladas no território.

A comparação indica um grande risco de extinção para os idiomas indígenas no Brasil. Como o enfraquecimento das línguas dos índios afeta a vida das aldeias? O que pode ser feito para preservar estas culturas?

Continuar lendo

Licenciatura Indígena da UFAM “Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável” promove seminário de avaliação do curso

licenciatura

Entre os dias 18 e 21 de abril acontece na maloca da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN), em São Gabriel da Cachoeira, Amazonas, o II Seminário Yumuatirisa: nas trilhas e redes dos saberes indígenas, promovido pelo curso de Licenciatura Indígena Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), que tem por coordenadora a Profa. Ivani Faria, da UFAM.

O Prof. Gilvan Müller de Oliveira (DLLV/UFSC) participará do evento. A pesquisadora do IPOL, Profa. Ana Paula Seiffert estará na semana seguinte ao evento trabalhando com a nova turma Nheengatu, recém aprovada no curso de Licenciatura Indígena Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável. 

O evento contará com a participação de 380 estudantes indígenas das 6 turmas existentes no curso. As apresentações serão realizadas pelos estudantes das turmas de língua Tukano, Baniwa, Nheengatu, Yanomami e Sateré-Mawé que frequentam a licenciatura.

Com o objetivo de fazer uma avaliação do curso a Licenciatura promove este encontro entre egressos do curso, docentes e estudantes indígenas, juntamente com organizações indígenas e indigenistas. O foco é uma reflexão sobre a proposta político-pedagógica do curso e a sua implementação.

De acordo com Gilvan Müller de Oliveira, o encontro demonstra a necessidade de constante reflexão e aprimoramento da proposta pedagógica, já em si mesma inovadora. O curso funciona com Ensino via Pesquisa, que substituiu as tradicionais disciplinas por projetos  de pesquisa proposto pelos estudantes, e coloca as línguas indígenas no centro do processo de ensino-aprendizagem, conferindo ao português ao espanhol o caráter de línguas auxiliares, mais utilizadas para a leitura de bibliografia. Funciona ainda dentro das terras indígenas, e não na cidade, nem dentro da sede da universidade, para também conferir centralidade à territorialidade indígena.

bela

A bela adormecida, São Gabriel da Cahoeira Foto: Socioambiental.org

A Licenciatura Indígena Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável foi uma conquista para os povos da região que, através de seus líderes e instituições de ensino e pesquisa, desde 2004, vem participando de discussões para amadurecer a proposta, visando uma educação escolar indígena que respeite as especificidades étnicas, linguísticas e territoriais de seu público principal.

O Curso da Licenciatura Indígena Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável, foi aprovado pela Resolução do CONSUNI n° 028/2007, garantindo assim os direitos indígenas assegurados pela Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), pela Constituição Federal de 1988,  pela  Lei n° 9394/96 de Diretrizes e Bases da Educação.

O IPOL esteve presente em vários momentos das discussões e formulações, através dos Profs. Gilvan e Ana Paula, acompanhando, problematizando e buscando garantir, com as demais instituições e lideranças indígenas, os direitos dos povos indígenas a sua língua e cultura.

Acesse a programação dos dias 18, 19,20 e 21/04 em: http://www.ufam.edu.br/attachments/article/5241/Folder%20Semin%C3%A1rio%20-%2030.03.2016%20(2).pdf

Mais informações disponíveis sobre o curso em: www.ensinosuperiorindigena.ufam.edu.br

 

Fonte:  UFAM e IPOL 

MinC e Iphan se reúnem para debater o patrimônio imaterial brasileiro

iO ministro da Cultura, Juca Ferreira, esteve nesta quarta-feira, dia 13 de abril, na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), quando abordou a importância da Instituição no Sistema MinC. Também, ressaltou a capacidade técnica dos servidores e a atuação do Iphan como “fundamental para garantir aos brasileiros a perpetuação de suas manifestações culturais, de seus monumentos e de toda a diversidade cultural do país”.

Continuar lendo

Atendentes de bancos e órgãos públicos de São Gabriel da Cachoeira terão oficinas sobre cultura e modos de vida de indígenas da região

Capacitações são objeto de recomendação do Ministério Público Federal expedida para evitar atendimento discriminatório ou inadequado aos indígenas nessas instituições

Uma série de oficinas programadas pela Fundação Nacional do Índio (Funai), à Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), por recomendação do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM), levarão informações a agentes públicos que oferecem atendimento no município de São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros de Manaus) sobre os modos de vida e as peculiaridades culturais dos povos indígenas da região do rio Negro.

Continuar lendo

O novo movimento indígena brasileiro

ielaPor Elaine Tavares

Talvez muita gente ainda não tenha percebido, mas há uma mudança gigantesca no processo de luta dos povos originários do Brasil. A primeira delas é a vertiginosa desvinculação da igreja, que, de certa forma, sempre foi a mais importante presença no processo. Num primeiro momento, como opressora número um, ajudando os portugueses no massacre aos povos novos. Depois, com a ação dos jesuítas nas famosas missões, houve uma mudança no trato e o objetivo era evangelizar, respeitando alguns aspectos culturais e a vida. Mais tarde, já no século XX, atuando como parceira no trabalho de manutenção da cultura e divulgação das denúncias necessária através do Conselho Indigenista Missionário.

Continuar lendo

Facebook

Visite site Oficial

1ºENMP (clique na imagem)

Receba o Boletim

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Nossas publicações

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo