Línguas Indígenas

Tribunal de Justiça lança cartilha em guarani sobre direitos, em Mato Grosso do Sul

gurani

Defensor Público-Geral do MS, Luciano Montalli, com equipe da Defensoria e lideranças indígenas, durante lançamento da cartilha. (Foto: Divulgação)

Projeto inédito no Brasil, lançado na Escola Superior da Defensoria Pública em MS, vai atender mulheres indígenas

Uma parceria entre o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) e a Defensoria Pública-Geral do Estado promoveu, esta semana, o lançamento da Cartilha Lei Maria da Penha nos idiomas Guarani e Terena, para levar a conhecimento das mulheres indígenas o direito contido na legislação específica que trata da violência contra a mulher. O lançamento foi realizado na Escola Superior da Defensoria Pública e o Mato Grosso do Sul escolhido para a solenidade por se tratar do segundo estado brasileiro com a maior população indígena. Continuar lendo

First International Conference on Revitalization of Indigenous and Minoritized Languages

conference-logo-1800x600The First International Conference on Revitalization of Indigenous and Minoritized Languages will take place April 19-21, 2017 in Barcelona, Spain.

The conference is sponsored by Universitat de Barcelona, Universitat de Vic-Universitat Central de Catalunya, and Indiana University-Bloomington.

Continuar lendo

Hablantes de cuatro lenguas nativas ya pueden registrarse en el Reniec, Perú

hablantes-de-cuatro-lenguas-na_fFEij9y-jpg_976x0

GALERÍAHablantes de cuatro lenguas nativas ya pueden registrarse en el Reniec

Actas de nacimiento, matrimonio y defunción se hacen en jaqaru, awajún, wampis y aimara. Innovador Registro Civil Bilingüe fomenta la inclusión y reconoce derechos a los usuarios de estos idiomas. Los beneficiarios pueden obtener una copia de sus documentos en cualquier oficina del país.

El pueblo de Tupe se ubica en la sierra de Lima y a pesar de la cercanía a la capital ha sabido preservar su lengua ancestral, el jaqaru. Con 750 personas que aún mantienen ese idioma, este pueblo fue el primero en contar con el registro civil bilingüe,un proceso de documentación que comenzó a implementar el Registro Nacional de Identificación y Estado Civil (Reniec) en setiembre de 2014.

Continuar lendo

Lenguas nativas de Colombia, con espacio propio en Feria del Libro de Bogotá

colombia

La lider comunitaria de la lengua namtrik, Diana Misak, durante una entrevista com Agencia EFE, Bogotá

El patrimonio lingüístico de Colombia, representado en 68 lenguas nativas, fue reunido por el Ministerio de Cultura que vio en la XXIX Feria Internacional del Libro de Bogotá (Filbo) una inmejorable oportunidad para presentarlo y compartirlo con el público.

Entre la variedad de lenguas nativas esta la namtrik, hablada en el departamento del Cauca (suroeste) por los indígenas guambianos, que tiene la particularidad de manejar seis vocales, según explicó a Efe, la líder comunitaria, Diana Misak.

Continuar lendo

O Brasil de Todas as Línguas, na Faculdade de Letras da UFRJ

Acontece amanhã, dia 28, na Faculdade de Letras da UFRJ, o evento O Brasil de todas as Linguas.

brasil

 

Quase metade das escolas indígenas não tem material didático específico

material

Censo Escolar de 2015, do Ministério da Educação, mostra que pouco mais da metade, 53,5%, das escolas indígenas têm material didático específico para o grupo étnicoDivulgação Prefeitura de Maricá/Fernando Silva

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil

Edição: Graça Adjuto

Ir para a escola e assistir aulas em outro idioma, não conhecer a própria história, aprender a história de outro povo e ter exemplos estranhos à realidade em que se vive é uma situação que parece irreal. No entanto, é assim que são educadas muitas crianças e jovens indígenas. Os últimos dados do Censo Escolar de 2015, do Ministério da Educação (MEC), mostram que pouco mais da metade, 53,5%, das escolas indígenas têm material didático específico para o grupo étnico.

Continuar lendo

Cursos de licenciatura elevam autoestima e fortalecem cultura das populações indígenas

agcom

Os 87 alunos que participaram da primeira turma formada pela UFSC acreditam que o curso fortalece sua cultura (Foto: Henrique Almeida/Agecom/DGC/UFSC)

Os cursos de licenciatura indígena ofertados pelas universidades públicas, além de distintos entre si, respeitam as diferenças interculturais e territoriais de cada etnia. Atualmente existem mais de 20 cursos de licenciatura indígena em nosso país, exclusivo para essas populações.

No próximo dia 25 de abril começam as aulas da segunda turma do curso de licenciatura intercultural indígena do Sul da Mata Atlântica. A graduação está ligada ao Centro de Filosofia e Ciência Humanas do Departamento de História da Universidade Federal de Canta Catarina (UFSC), mas recebe alunos dos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Espirito Santo.

Continuar lendo

Abertura da 2ª turma do curso Licenciatura Indígena da UFSC

licenciaturaufscA cerimônia em comemoração à abertura da 2ª turma do curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica será realizada nos dias 25 e 26 de abril no auditório do CFH/UFSC. Os estudantes – que são indígenas dos povos Guarani, Kaingang e Xokleng-Laklãnõ – iniciarão as aulas na tarde da terça-feira, 26 de abril. A primeira turma de alunos do curso ingressou em 2011 e se formou em abril de 2015.
No dia 25, às 16h, ocorrerá a mesa Licenciatura Intercultural Indígena na UFSC: 10 anos de conquistas e desafios, coordenada pela professora Maria Dorothea Post Darella, com a presença dos ex-coordenadores do curso. No dia 26, às 10h, será realizada a cerimônia de abertura do semestre, a qual participará a coordenadora do curso de Licenciatura Indígena, Antonella Maria Imperatriz Tassinari, e da vice-reitora da Universidade, Lúcia Helena Pacheco.
Mais informações e programação no site: licenciaturaindigena.ufsc.br

Fonte: Notícias da UFSC

Ex-aluno indígena e professor da UEMS lançam E-book de língua guarani

ebook

Foto: Imprensa/ UEMS

A língua valoriza e fortalece a identidade étnica de um povo”, afirma o ex-aluno indígena da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Tonico Benites, um dos autores do E-book Avañe’e, de língua guarani. A edição foi lançada pela editora da instituição, em homenagem ao Dia do Índio, comemorado nesta terça-feira (19).

Acesse aqui o E-book Avañe’e.

O professor Dr. Adilson Crepalde, do curso de Letras da unidade de Dourados da UEMS, também está entre os autores do E-book, juntamente com o indígena Adão Ferreira Benites. Segundo o docente, o conteúdo é voltado para o aprendizado da língua guarani por não-índios.

Continuar lendo

Palestra no Museu do Amanhã no Rio: Existe Amanhã para as línguas indígenas?

museudo amanha

Foto: Museu do amanhã

A diversidade brasileira é conhecida pela variedade de flora, fauna e ecossistemas, mas pouco se sabe sobre nossa diversidade linguística. São mais de duzentas línguas faladas no país, a grande maioria – pelo menos 190, segundo a Unesco – indígena. O número pode parecer grande, mas, antes da chegada dos europeus, a estimativa é que mais de 1.500 línguas fossem faladas no território.

A comparação indica um grande risco de extinção para os idiomas indígenas no Brasil. Como o enfraquecimento das línguas dos índios afeta a vida das aldeias? O que pode ser feito para preservar estas culturas?

Continuar lendo

Facebook

Visite site Oficial

1ºENMP (clique na imagem)

Receba o Boletim

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Nossas publicações

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo