Línguas de sinais

Música para surdo ouvir: através das libras, coral propõe acessibilidade

O grupo de coral para pessoas com deficiência auditiva foi criado na UESPI

Imagine um mundo sem sons. É assim que vivem mais de 344,2 mil pessoas surdas no Brasil, dentro de um número maior de 9,7 milhões de brasileiros que possuem alguma deficiência auditiva, segundo o Censo de 2010 do IBGE. Ciente desta realidade, a Professora Amanda Beatriz, docente do Curso de Letras da Universidade Estadual do Piauí – UESPI iniciou junto com uma turma de alunos e ex-alunos da instituição um grupo de coral para surdos.

Amanda teve contato com a disciplina de Libras ainda como aluna do Curso de Letras Português, no qual se formou em 2013, e logo descobriu um caminho a ser percorrido como docente. “A Libras teve início na minha vida por meio de uma disciplina que que paguei na graduação de apenas 30 horas, e isso despertou meu interesse; aquilo me encantou e fui atrás. Fiz cursos por instituições de ensino como a ASTE e Senac, me formei no Curso de Letras/Português e depois, já em 2014 retornei à casa como professora”, relembra.

A Profa. Amanda Beatriz e o Grupo em apresentação durante o II Encontro Nacional de Letras da UESPI  Foto: Ascom

A Profa. Amanda Beatriz e o Grupo em apresentação durante o II Encontro Nacional de Letras da UESPI Foto: Ascom

O concurso que Amanda fez para tornar-se docente da UESPI, foi justamente para a área de Letras/Português com Habilitação em Libras. Agora ela ministra e torna a disciplina conhecida para outros alunos e alunas como Karla Santos, que está no oitavo período e é uma das componentes do Coral para surdos. “Vamos nos formar agora em 2017, e conhecemos as Libras através da professora Amanda. Até chegar a essa disciplina eu não tinha noção para onde ia a Libras; depois disso, passamos a ter mais contato com a linguagem de sinais. A didática utilizada em sala de aula nos colocou no mundo dos surdos e das libras”, afirma Karla.

Este ano durante o II Encontro Nacional de Letras – realizado entre 12 a 16 de setembro – um grupo de alunos surpreendeu a plateia com uma apresentação de músicas em Libras. “Como a turma em que ministro a disciplina se encantou e se desenvolveu muito durante o semestre, eu perguntei se eles não queriam participar com uma apresentação toda sinalizada para a abertura do evento e fiquei satisfeita quando aceitaram. Então foi algo realizado por mim, por eles e por pessoas da comunidade”, conta Amanda.

Continue lendo

MIS recebe exposição fotográfica e lançamento do dicionário ilustrado ‘Vivenciando Libras’

O projeto “Mais que Mil Palavras”, da Associação Terapêutica de Estimulação Auditiva e Linguagem (Ateal), que consiste em uma exposição fotográfica – realizada por crianças e adolescentes com deficiência auditiva–, e em um dicionário de Libras ilustrado, será lançado em Campinas, no Museu da Imagem e do Som (MIS), neste sábado, 11 de fevereiro, às 16h30.

A mostra, com curadoria de Giovanna Cardin, reúne 170 imagens, divididas entre paisagens, grafismos e perspectivas. É resultado das oficinas de fotografia ministradas pelas fotógrafas Juliana Bueno e Renata Magrin com 11 pacientes da entidade. “O resultado foi a satisfação de cada envolvido no projeto, felizes por compartilhar e interagir com o espectador, revelando suas habilidades de comunicação social e cultural através da fotografia”, afirma a curadora.

O dicionário ilustrado “Vivenciando Libras”, de Amanda Ballarin Dias, conta com símbolos do cotidiano, figuras de linguagem e expressões idiomáticas em Libras, relacionadas à cidade de Campinas. A autora já lançou o dicionário com foco no município de Jundiaí.

O projeto “Mais que Mil Palavras” foi aprovado pela Lei Rouanet – Lei Nacional de Incentivo à Cultura.

Fundada em Jundiaí, em 1982, a Ateal é uma associação civil, assistencial e de pesquisa, sem fins econômicos. É credenciada pelo Ministério da Saúde para atendimento na Rede de Saúde Auditiva, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), para atendimentos a pacientes de Jundiaí e mais 18 municípios da região. A Associação realiza exames em maternidades para detecção precoce da deficiência auditiva em bebês (teste da orelhinha). Possui um Centro Audiológico para realização de exames da audição, para a indicação e adaptação de aparelho auditivo, e participa de programas de saúde ocupacional em empresas para o diagnóstico e conservação da audição. Também desenvolve programas de habilitação e reabilitação em diversas áreas, projetos sociais e de pesquisa financiados por empresas via incentivo fiscal, e oferece cursos em Libras, serviços de interpretação e assessoria nas áreas de atuação e gestão do terceiro setor. (Carta Campinas com informações de divulgação)

Projeto “Mais que Mil Palavras”
Exposição fotográfica e lançamento do dicionário “Vivenciando Libras”
Quando: sábado, 11 de fevereiro, 16h30
Onde: MIS (Rua Regente Feijó, 859. Centro. Campinas)
A exposição fica aberta até 9 de março: terças a sextas, das 10h às 18h.

Fonte: Carta Campinas

Biblioteca de São Paulo oferece curso gratuito de Libras

Créditos: Divulgação/BSP Curso básico de Libras oferecido pela Biblioteca de São Paulo

Créditos: Divulgação/BSP
Curso básico de Libras oferecido pela Biblioteca de São Paulo

Com o objetivo de ampliar as possibilidades de comunicação e interação social ou profissional entre surdos e não surdos, a Biblioteca de São Paulo (BSP) está com inscrições abertas para curso gratuito de Libras (Língua Brasileira de Sinais).

As aulas de nível básico são direcionadas para quem quer se aproximar de conteúdos relacionados à língua de sinais. O curso é ministrado com professor ouvinte e surdo, e metodologia bilíngue Libras-português.

O curso acontece de 17 de fevereiro a 31 de março, todas as sextas-feiras, das 14h às 17h30. A carga horária é de 24h30. É necessário que o aluno confirme a inscrição comparecendo na primeira aula. Faltar no primeiro dia implicará no desligamento automático.

As inscrições vão até 10 de fevereiro e podem ser feitas pelo e-mail

agenda@bsp.org.br ou diretamente no balcão de atendimento da biblioteca (de terça a sexta-feira, das 10 às 18h). Se houver preenchimento de todas as vagas as inscrições serão encerradas.

O curso é indicado para pessoas acima de 16 anos.

 

Fonte: Catraca Livre

SignWriting Symposium 2016

SignWriting_Symposium_2016LIVE ONLINE July 18-21, 2016
Abstracts & Papers, Slides & Video Presentations on
SignWriting in Education, Literature, Software & Research

The purpose of the SignWriting Symposium Online is to bring people together to share SignWriting projects, not only during the Live Presentation July 18-21, 2016, but also in a Symposium Web Archive that will remain on the web for future generations.

Video by Adam Frost in American Sign Language-ASL

Continue lendo

MPF quer legendas e intérprete de Libras em todos os filmes exibidos no Brasil

Exibição de filmes dublados restringe acesso de pessoas com deficiência auditiva ao cinema, diz MPF-SP - Foto: Gustavo Gomes/EBC

Exibição de filmes dublados restringe acesso de pessoas com deficiência auditiva ao cinema, diz MPF-SP – Foto: Gustavo Gomes/EBC

Ação foi ajuizada contra Ancine e 10 distribuidoras que atuam no país; procuradores querem indenização no valor de R$ 1 milhão

A Procuradoria Regional dos Direito do Cidadão do MPF-SP (Ministério Público Federal de São Paulo) abriu ação civil pública contra a Ancine (Agência Nacional de Cinema) e dez distribuidoras de filmes que atuam no país, exigindo que filmes nacionais e estrangeiros em cartaz nas salas de cinema do país tenham legendas e janelas com intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) para pessoas com deficiência auditiva. Os procuradores também querem indenização no valor de R$ 1 milhão por danos morais coletivos.

Continue lendo

Projeto de Inventário da Língua Brasileira de Sinais (Libras) tem sua primeira reunião do ano

Bruna Neves, Maristela da Silveira e Ana Paula Seiffert

Bruna Neves, Mariela da Silveira e Ana Paula Seiffert – Foto: IPOL

Na tarde desta segunda-feira, dia 18/01, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis-SC, realizou-se a primeira reunião do ano com parte da equipe de colaboradores do projeto Inventário da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Estavam presentes: Rosângela Morello, coodenadora-geral do IPOL, Bruna Crescêncio Neves (IFSC), Ana Paula Seiffert, Cíntia Vilanova, Tamissa Godoi, Mariela Felisbino da Silveira e Alberto Gonçalves. Também participaram por Skype os professores da UFSC Ronice Müller de Quadros e Gilvan Müller de Oliveira.

Tamissa Godoi, Cintia Vilanova e Rosângela Morello - Foto: IPOL

Tamissa Godoi, Cintia Vilanova e Rosângela Morello – Foto: IPOL

Na reunião foram discutidos os encaminhamentos e cronogramas para as primeiras ações do projeto que ora se inicia. O Inventário da Libras – uma parceria entre o IPOL, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e a UFSC – foi um dos contemplados ano passado pelo Edital de Chamamento Público 004/2014 – Identificação, Apoio e Fomento à diversidade linguística no Brasil – Línguas de Sinais, Línguas de Imigração e Línguas Indígenas.

Continue lendo

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo