Línguas de imigração

Inventário do Hunsrückisch como Língua Brasileira de Imigração (IHLBrI) no Sul do Brasil

Nos dias 14 a 18 de agosto de 2017, a equipe do Inventário do Hunsrückisch e do Projeto ALMA-H (Atlas Linguístico-Contatual das Minorias Alemãs na Bacia do Prata: Hunsrückisch), formada por Jussara Habel, Gabriel Schmitt, Ana Winckelmann e Paola Wollmann Inhaquite esteve no noroeste do Rio Grande do Sul para realizar a pesquisa referente ao Inventário do Hunsrückisch (Hunsriqueano) como Língua Brasileira de Imigração (IHLBrI), que tem por objetivo registrar as línguas alemãs faladas em território brasileiro.

Pesquisadores do IHLBrI.

A equipe de pesquisadores chegou à cidade de São José do Inhacorá, distante 50 km de Santa Rosa, no dia 14 de agosto. As atividades iniciais envolveram reuniões com autoridades da administração pública, aplicação de diferentes questionários e gravação de relatos em Hunsrückisch.

O prefeito Gilberto Hammes nos revelou, em Hunsrückisch, que a prioridade do seu Plano de Governo é a inserção do ensino de língua alemã nas escolas locais, no entanto, a maior barreira ainda é a falta de professor com formação na área. Com o ensino de alemão, o prefeito acredita que a língua pode receber um estímulo positivo e continuar ativa na comunidade por muito mais tempo.

Percebeu-se que a utilização da língua alemã por parte da equipe do IHLBrI facilitou a aproximação com os moradores da cidade, tanto no interior quanto no centro de São José do Inhacorá. Grande parte dos 2.205 habitantes da cidade ainda se comunica em alemão com bastante frequência e inclusive foi constatado o uso da língua em espaços públicos, como na prefeitura, no hospital, escolas e salão comunitário da igreja, mostrando que ainda há grande vitalidade linguística na cidade.

Continue lendo

Eventos de TALIAN em Chapecó, SC

Acontecerão em Chapecó, SC, dois eventos da língua Talian no mês de setembro, desse ano

Por Nedi Teresinha Locatelli

Ouça abaixo os convites nas línguas portugesa e taliana.

Continue lendo

O Inventário do Hunsrückisch como Língua Brasileira de Imigração no sul do Brasil

Monumento do Cooperativismo. Pesquisadores da esquerda para a direita: Jussara, Gabriel e Ana.

Além dos estados de Santa Catarina e Espírito Santo,  também o Rio Grande do Sul recebeu pesquisadores do Inventário do Hunsrückisch (hunsriqueano) como Língua Brasileira de Imigração (IHLBrI ) durante o mês de agosto.

Entre os dias 01 e 03 de agosto, Jussara Habel, Gabriel Schmitt e Ana Winckelmann  que compõem a equipe do Inventário e do Projeto ALMA-H (Atlas Linguístico-Contatual das Minorias Alemãs na Bacia do Prata: Hunsrückisch) esteve em Nova Petrópolis, RS, para as pesquisas.

A equipe de pesquisadores chegou em Nova Petrópolis, RS, no dia 01 de agosto de 2017 com várias atividades agendadas. Inicialmente, a equipe foi até a Prefeitura para preencher o questionário sociológico e para ouvir as autoridades locais sobre a importância da língua alemã falada em Nova Petrópolis. Durante a tarde, foram recebidos pela Rádio Imperial FM, 104.5, para explicar os objetivos do trabalho aos ouvintes (Conferir entrevista abaixo).

Continue lendo

Inventário do Hunsrückisch (hunriqueano) vai ao Espírito Santo em Pesquisa de Campo

Equipe do IHLBrL em campo no ES, Ago/2017.

Em sua quarta Campanha de Campo, dessa vez, a Pesquisa está sendo realizada no Espírito Santo e iniciou no dia 12 de agosto de 2017, com atividades de pesquisa na Região Serrana do Estado para o Inventário do Hunsrückisch (hunriqueano) como Língua Brasileira de Imigração (IHLBrI) falada na região. A Equipe que está no ES é composta por Rosângela Morello (Coordenadora Geral da Pesquisa e do IPOL), Rodrigo Schelenker (Pesquisador do IPOL), Cleo V. Altenhofen (Professor da UFRGS e Coordenador da Pesquisa em Campo), Edenize Ponzo Peres (Professora da UFES) e André Kuster (Pesquisador).

Essa pesquisa tem como objetivo fazer com que essa língua faça parte do Inventário Nacional da Diversidade Linguística (INDL) e possa, do ponto de vista político, ser reconhecida como referência cultural brasileira, conforme Rosângela Morello, Coordenadora Geral da Pesquisa e do IPOL.

Continue lendo

Für Immer (Para Sempre)

Filme gravado em alemão e legendado em portugês celebra 193 anos da imigração e utiliza o idioma para contar a história que marcou e transformou a nossa região.

Fonte: Jornal NH

Pesquisadores do Sul do país analisarão dialeto alemão falado na Região Serrana do Estado

A força do idioma alemão, presente nas conversas de muitas famílias de imigrantes da Região Serrana do Estado, será objeto de um estudo nesta semana. Os municípios de Domingos Martins, Marechal Floriano e Santa Leopoldina, a partir do próximo sábado (12), serão o foco de uma pesquisa que irá mapear os moradores que falam o dialeto hunsruckisch.

O projeto, que é patrocinado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), é promovido por uma parceira entre o Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística (IPOL), e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), por meio do Projeto Atlas Linguístico-Contatual das Minorias Alemãs na Bacia do Prata – ALMA-H. A pesquisa terá duração de uma semana e fará parte do Inventário Nacional da Diversidade Linguística do Brasil (INDL), que tem como objetivo conhecer a variedade linguística do Brasil.

Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo