Línguas Africanas

Linguas Bantu unem Universidade Pedagógica ( FCLCA) e Instituto de Línguas

As duas instituições assinaram na manhã do dia 25 de Janeiro, um Protocolo de Parceria Académica no âmbito da introdução do Ensino de Línguas Bantu Moçambicanas.

No essencial, com este protocolo docentes de língua bantu moçambicanas formados pela UP, vão apoiar o Instituto de Línguas no ensino destas línguas, que passam a integregar o leque de ofertas de cursos desta instituição que tradicionalmente tem cursos de Inglês e Françes. Assinaram o Protocolo a Directora da FCLCA, Profa. Doutora Sarita Monjane Henriksen e a Directora do IL, Mestre Nália Francisco.

Fonte: Universidade Pedagógica

Línguas do mundo: Unesco estima que 2,5 mil idiomas podem desaparecer no futuro

Unesco estima que 2,5 mil idiomas podem desaparecer; solução para questão pode estar na internet

Línguas do mundo: Unesco estima que 2,5 mil idiomas podem desaparecer no futuro  |  Fonte: Shutterstock

Línguas do mundo: Unesco estima que 2,5 mil idiomas podem desaparecer no futuro | Fonte: Shutterstock

Se você acredita que um idioma nunca morre, é hora de repensar. Segundo a Organizações das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), dos 6 mil idiomas existentes na Terra, aproximadamente 2,5 mil correm risco de desaparecer. Curiosamente, apesar de a globalização ser a principal razão desse fenômeno, é justamente um fruto dela que pode salvar essas línguas: a internet!

Entre os principais idiomas em risco estão, na maioria das vezes, dialetos indígenas como o andoa equatoriano que, atualmente, conta com apenas um falante ou o zapara, que tem apenas seis idosos que o compreendem fluentemente. Isso se dá ao fato de as comunidades precisarem se integrar à cultura dominante, o que resulta no abandono da sua própria e também de seu idioma.

A principal questão envolvendo essas línguas é que elas não são registradas por escrito, logo, são, em muitos casos, idiomas que existem apenas no contexto oral. O desafio atual dos linguistas é recuperar ao menos uma parte dos idiomas e tentar documentá-los. Uma tarefa difícil, porém, não impossível. E tudo graças à internet.

Ao serem gravadas em áudio ou em vídeo e disponibilizadas na web, essas línguas chegam a mais pessoas e, dessa forma, mais interessados aparecem. Há com isso um despertar para a cultura do outro, o que faz com que pessoas que nem haviam ouvido falar de determinado idioma sintam vontade de conhecer e protegê-lo.

Fonte: Universia Brasil

As 9 Línguas mais faladas em Angola

Fonte: PLUMANGOLA

Fonte: PLUMANGOLA

Angola a língua oficial é o português.

Mas algumas regiões têm o estatuto de línguas nacionais, sendo as mais faladas:

Kikongo, Kimbundo, Tchokwe, Umbundo, Mbunda, Kwanyama, Nhaneca, Fiote, Nganguela etc.

 

 

 

Fonte: PLUMANGOLA

IPOL participa de mesa de discussão: Políticas linguísticas: as línguas africanas em contato com as línguas europeias no VI SIALA

Acontece hoje, no VI SIALA – Seminário Internacional de Acolhimento das Línguas Africanas e IV Jornada do CEA/UFMG , a mesa-redonda com participação da pesquisadora Rosângela Morello sobre: Políticas linguísticas: as línguas africanas em contato com as línguas europeias.  Participam também da mesa-redonda Cristine Severo (UFSC e Leandro Rodrigues Alves Diniz (FALE/UFMG), com a coordenação de  Sônia Queiroz (UFMG).

O VI SIALA busca, de acordo com os organizadores do evento,  ser uma vitrine dos trabalhos de pesquisa e extensão desenvolvidos na UFMG e em outras instituições brasileiras em torno das línguas, culturas e literaturas africanas e seus desdobramentos nas Américas.

Saiba mais sobre o Evento no site: http://www.letras.ufmg.br/africanias/

Consulte o folder com a programação: sialaprogramacao

africa

Fonte: IPOL comunicação e Site do Evento 

IPOL confirma participação no VI SIALA – Seminário Internacional de Acolhimento das Línguas Africanas e IV Jornada do CEA/UFMG

Dias 7,8 e 9 de novembro de 2016 acontece o VI SIALA – Seminário Internacional de Acolhimento das Línguas Africanas e IV Jornada do CEA/UFMG.

Na quarta-feira, dia 9, a pesquisadora Rosângela Morello participa da mesa-redonda: Políticas linguísticas: as línguas africanas em contato com as línguas europeias.

O VI SIALA busca, de acordo com os organizadores do evento,  ser uma vitrine dos trabalhos de pesquisa e extensão desenvolvidos na UFMG e em outras instituições brasileiras em torno das línguas, culturas e literaturas africanas e seus desdobramentos nas Américas.

Saiba mais sobre o Evento no site: http://www.letras.ufmg.br/africanias/

Consulte o folder com a programação: sialaprogramacao

africa

Fonte: Email de Divulgação e Site Oficial

VI SIALA – Seminário Internacional Acolhendo as Línguas Africanas e IV Jornada do Centro de Estudos Africanos da UFMG.

Acontece nos dias 7,8 e 9 de novembro no Auditório A104, do Campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG, o evento Africanias – linguagens, culturas, histórias, compreendendo o VI SIALA – Seminário Internacional Acolhendo as Línguas Africanas e IV Jornada do Centro de Estudos Africanos da UFMG.

Inscrições seguem de 14/09 a 15/10, pelo email: visiala2016@gmail.com

Em breve mais informações.

africa

 

 

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo