Gestão do Conhecimento

#Librário: Jogo criado por alunos da Uemg facilita aprendizado de Libras

Aluna da Escola Estadual Ari da Franca, em Belo Horizonte, a jovem Helena Regina Carneiro, 15 anos, comemora a facilidade para se comunicar com os três colegas surdos que dividem com ela a sala do 1º ano do ensino médio. A utilização da Língua Brasileira de Sinais (Libras) ficou ainda mais fácil para Helena depois que a turma recebeu uma oficina do Librário: Libras para Todos, jogo criado por alunos da Universidade Estadual de Minas Gerais (Uemg), que está tornando mais acessível o aprendizado de Libras no Estado.

Desenvolvido no Centro de Estudos em Design e Tecnologia (CEDTec) da Escola de Design da Uemg, o Librário é um baralho de pares de cartas que contém os sinais de Libras e seus respectivos significados em português. Divertido e inclusivo, o jogo estimula o aprendizado da língua, colaborando para o processo de inclusão dos surdos. “Um ouvinte geralmente não tem dificuldade para aprender Libras, ao passo que oralizar um surdo é muito mais difícil, e nem todos conseguem”, explica a professora da Uemg e coordenadora do Librário, Rita Engler.

Continue lendo

Conferência Diversidade linguística e conhecimento científico

plataformaA Reitoria da Universidade do Minho e o BabeliUM – Centro de Línguas do Instituto de Letras e Ciências Humanas – convidam para a Conferência «Diversidade linguística e conhecimento científico», a decorrer no dia 4 de março de 2016 no Campus de Gualtar, em Braga.

Continue lendo

Resenha do livro “A relevância social da linguística”

A-relevancia-social-da-linguisticaAcerca da Relevância Social Urgente da Linguística: Ensino de Língua Portuguesa e Formação Cidadã no Brasil.
Resenha da Obra: Correa, D. A. (org.). (2007). A relevância social da lingüística: linguagem, teoria e ensino. São Paulo / Ponta Grossa: Parábola / Editora UEPG
Revista Interamericana de Educación para la Democracia – International Journal of Education for Democracy, v. 2, n.1, jun. 2009, p. 121-128.
por Milton Francisco

Disponibilizamos a resenha do livro “A relevância social da linguística”, organizado por Djane Antonucci Correia.

A resenha “Acerca da Relevância Social Urgente da Linguística: Ensino de Língua Portuguesa e Formação Cidadã no Brasil“, publicada na Revista Interamericana de Educación para la Democracia, foi escrita por Milton Francisco, professor da UFAC, e coloborador do IPOL. No livro resenhado consta o artigo A “‘virada político-linguística’ e a relevância social da linguística e dos linguistas”, de Gilvan Müller de Oliveira, Assessor do IPOL.

Clique aqui para visualizar a resenha.

Página do livro no site da Parábola Editorial.

IPOL comemora 15 anos em Setembro

Em Setembro o IPOL completa 15 anos de existência. Lançamos um logo comemorativo da data. Comemore conosco!

Selo 15 Anos cor

III SIMPÓSIO NACIONAL DE LETRAS E I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE LETRAS da UFLA

Inscrições para apresentação de trabalhos ATÉ 18/04/2014 prorrogadas até 28/04/2014

http://letport.cead.ufla.br/site/wp-content/uploads/2011/08/realizacao.png

 

1. Tema: Fronteiras, limiares e interfaces: caminhos e descaminhos das palavras.

2. Data de Realização: de 29 a 31 de maio de 2014.

3. Local: Universidade Federal de Lavras.

4. Objetivo

O simpósio tem como objetivo central fazer circular as pesquisas e estudos desenvolvidos por diferentes instituições e pesquisadores, a fim de contribuir com o avanço das áreas de Linguística, literatura e ensino.

5. Inscrições
Leia Mais

Tradição linguística on-line

País plurilíngue, Angola investe na preservação dos idiomas com plataformas eletrônicas

“Em média, a cada quinze dias desaparece uma língua, e África é o continente mais ameaçado”, apontou o escritor José Eduardo Agualusa num artigo de 2011 sobre a evolução das línguas em Angola. Mas ao longo do último ano foram criadas várias plataformas on-line em favor da salvaguarda das línguas nacionais do país.

Angola é um país plurilíngue, com seis línguas africanas reconhecidas como nacionais a par do português enquanto língua oficial. Para além disso, estima-se que existam 37 línguas e 50 dialetos em uso no país. O blog Círculo Angolano Intelectual reportou, no final de outubro de 2013, que 30% da população (cerca de 8,5 milhões de angolanos) “só fala as línguas nacionais que não fazem parte de nenhum programa educacional, social”, acrescentando ser isto mais um dos fatores que gera exclusão social.

Num artigo de Agualusa, publicado pelo Instituto Cultural de Formação e de Estudo sobre Sociedades Africanas em São Paulo, Casa das Áfricas, o escritor premiado versa sobre “uma proposta de paz” para a coexistência das línguas nacionais e da língua portuguesa (“língua materna versus língua madrasta”), e  questiona: “Porque é que em Angola, país de muitas línguas, os escritores apenas utilizam o português?”

Projeto Evalina
Procurando contrariar o fenômeno, ao longo do ano de 2013 surgiram várias iniciativas on-line, criadas por jovens que olham para as tecnologias como um desafio para a promoção e salvaguarda das línguas nacionais.
Leia Mais

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo