Fronteira

MADE Collective apresenta proposta inovadora para a fronteira entre México e EUA

Fonte: ARCH DAILY

Fonte: ARCH DAILY

O estúdio MADE Collective apresentou formalmente aos governos do México e EUA sua proposta para a fronteira entre os dois países, cujo objetivo é oferecer uma resposta resistente às problemáticas que envolvem os limites entre ambos através da criação da primeira Co-nação regenerativa aberta do mundo.

O projeto, intitulado Otra Nation, é ia co-nação compartilhada entre os cidadãos do México e EUA, sustentada por seus respectivos governos. Ambas as nações oferecerão uma parcela de terra e um investimento inicial, que compreende infraestruturas e serviços, financiado 50% pelo México e 50% pelos Estados Unidos.

Dos arquitetos:

Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, o planeta presenciou um enorme aumento das barreiras físicas. Estas cicatrizes visuais são ainda mais profundas quando duas nações compartilham uma história rica e uma relação ativa. México e Estados Unidos sempre foram mais prósperos quando suas respectivas forças trabalham em conjunto. Propomos um “Novo Acordo” transnacional para construir uma “co-nação” inovadora baseada no empoderamento econômico local, na independência energética e infraestrutura e transporte revolucionários.

Fonte: ARCH DAILY

Fonte: ARCH DAILY

Fazendo uso de termos como “regeneração”, “co-nação”, “sistema aberto”, “controle biométrico” e “interconexão”, o coletivo explica sua proposta apresentando seus objetivos, contexto, as problemáticas ambientais e econômicas, e os enfoques sociais, culturais e tecnológicos.

No website não é divulgada a identidade dos membros do MADE Collective, que se apresenta como uma equipe nacional interdisciplinar de arquitetos, construtores, designers, engenheiros e urbanistas do México e Estados Unidos, que juntos já propuseram projetos para mais de 40 países.

Fonte: ARCH DAILY

Fonte: ARCH DAILY

Fonte: ARCH DAILY

Entrevista com Isis Berger, da UNIOESTE, no III CIPLOM/EAPLOM

Nesta quarta, compartilhamos as palavras da profa. Isis Ribeiro Berger, membro da Comissão Organizadora do III CIPLOM/EAPLOM, em junho de 2016, na UFSC.

Durante o III CIPLOM/EAPLOM, a profa. Berger ofertou ofertou minicurso “Desafios e propostas de ação de gestão do multi/plurilinguismo na esfera escolar em contexto de fronteira”.

Segundo a professora, o  CIPLOM constitui um importante espaço para se pensar o lugar que as línguas ocupam na ideia de integração latino-americana. Além disso, esta terceira edição do CIPLOM teve, de acordo com ela, a importância  de consolidar a memória do evento, cujas edições anteriores ocorreram em Foz do Iguaçu,em 2010, e em Buenos Aires, Argentina, em 2013.

Isis Ribeiro Berger é professora na UNIOESTE, campus Foz do Iguaçu, atua no Programa de Pós-graduação Sociedade, Cultura e Fronteiras e desenvolve o projeto de pesquisa “Gestão Multi/Plurilinguísmo no espaço fronteiriço trinacional”. 

Ouça a colaboração da Profa. Isis Berger, acessando:

Conheça outros projetos de pesquisa realizados pelo  Programa de Pós-graduação Sociedade, Cultura e Fronteiras.

Fonte: IPOL Comunicação

 

 

Uruguai tem aulas de português em 83 escolas públicas de ensino básico

Festejos_centrales_del_Bicentenario_de_Uruguay_3-692x360

Atividades comemorativas do bicentenário do Uruguai. Dia 10 de outubro de 2011 Fotografia de Matilde Campodonico

O Uruguai dá aulas de português em 83 escolas públicas de ensino básico, sendo a maioria delas em zonas de fronteira com o Brasil, segundo números oficiais.

Em apenas seis das escolas que disponibilizam o ensino do idioma, ele é considerado uma língua estrangeira, como nas escolas chamadas Brasil, Portugal e Rui Barbosa, na capital, Montevidéu, afirmou à Lusa a coordenadora de Português no Departamento de Segundas Línguas do Conselho de Educação Inicial e Primária, Cinthia Nuñez.

Nas outras 77 escolas, em zonas fronteiriças com o Brasil, o português é a segunda língua local, como resultado da presença brasileira histórica na região. Há 190 anos, em agosto de 1925, o Uruguai se proclamou independente do Brasil, do qual fazia parte politicamente.

Continue lendo

Chamadas de Trabalhos Revista Caderno de Letras

anpollRevista Caderno de Letras está com chamada aberta para o próximo número.

Proposta de tema para o dossiê: Dialogos en el Conosur: Veijas fronteras y nuevos espacios en Literatura y Cultura

Não apenas a literatura latino-americana, mas também a formação deste continente e a construção de identidade de seu povo se dão a partir da relação que se estabelece com o outro. As questões de identidade de povos e culturas periféricos e as relações estabelecidas entre regiões, dentro do mesmo país ou entre países, são uma preocupação constante nas discussões que cada vez mais se fazem no âmbito dos estudos comparados e culturais. Por isso, é legítimo e essencial que se estude e que se reflita sobre esses processos. Continue lendo

Congreso de Hispanistas en Foz de Iguazú, días 22, 23, 24 y 25 de agosto de 2016

12512779_10153826671411195_3088108499923806250_nA Associação Brasileira de Hispanistas lança 3a circular sobre as inscrições para o IX Congresso Brasileiro de Hispanistas, que acontecerá na Universidade Federal de Integração Latino-americana (UNILA)  e na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), de 22 a 25 de agosto de 2016.

Continue lendo

SE crea Licenciatura en Educación Intercultural

paraguaio

Se pretende fortalecer la cultura indígena desde la universidad

El Instituto Paraguayo del Indígena, INDI promueve el acceso a la educación terciaria de jóvenes indígenas mediante una articulación que respete la cultura de los pueblos y en esta ocasión tiene el agrado de informar a la ciudadanía que el Consejo Nacional de Educación Indígena, la Asociación Jopotyra del Pueblo Paí tavytera, la Supervisión de Educación Escolar Indígena del Departamento de Amambay y la Universidad Nacional de Concepción (UNC) con el apoyo y gestión de la Dirección de Educación Escolar Indígena y la Dirección General de Universidades e Institutos Superiores del Ministerio de Educación y Cultura se encuentran ejecutando el proyecto de “Inserción de Pueblos Originarios en la Educación Superior” la cual se implementara este año con la apertura de la Licenciatura en Educación Intercultural para miembros del pueblos Pai tavytera del Departamento de Amambay, a ser desarrollada por la UNC.El Instituto Paraguayo del Indígena, INDI promueve el acceso a la educación terciaria de jóvenes indígenas mediante una articulación que respete la cultura de los pueblos y en esta ocasión tiene el agrado de informar a la ciudadanía que el Consejo Nacional de Educación Indígena, la Asociación Jopotyra del Pueblo Paí tavytera, la Supervisión de Educación Escolar Indígena del Departamento de Amambay y la Universidad Nacional de Concepción (UNC) con el apoyo y gestión de la Dirección de Educación Escolar Indígena y la Dirección General de Universidades e Institutos Superiores del Ministerio de Educación y Cultura se encuentran ejecutando el proyecto de “Inserción de Pueblos Originarios en la Educación Superior” la cual se implementara este año con la apertura de la Licenciatura en Educación Intercultural para miembros del pueblos Pai tavytera del Departamento de Amambay, a ser desarrollada por la UNC. Continue lendo

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo