Trajetória

TRAJETÓRIA IPOL

O Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística (IPOL) foi fundado em Florianópolis-SC no ano de 1999.

Nos seus três primeiros anos, suas ações estruturaram-se em dois eixos principais: a formação continuada a partir da metodologia de ensino via pesquisa, em parceria com a Secretaria de Educação Municipal de Florianópolis, e a oferta de cursos de formação e capacitação relacionados às línguas indígenas na Amazônia.

A partir de 2002, uma terceira área de atuação passou a fazer parte das atividades do IPOL: o ensino bilíngue relacionado às línguas de imigração, em parceria com a Secretaria de Educação Municipal de Blumenau. A proposta da metodologia de ensino via pesquisa também consolidou-se na oferta de cursos relacionados às línguas indígenas e na atuação de capacitações e formação continuada de professores da rede pública municipal de Florianópolis. A parceria com a Secretaria de Educação desse município se expandiu para as Secretarias de outras cidades de SC: Piçarras, Gaspar, Penha e Itajaí.

Em 2005, as atividades do IPOL, além das áreas de atuação já mencionadas, passaram a envolver a inserção no Mercosul, destacando-se sua participação no Projeto Escola Intercultural Bilíngue de Fronteira (PEIBF), no qual realizou assessoria pedagógica e técnica, além da oferta de cursos de pós-graduação lato senso, em parceria com Instituição de Ensino Superior. Objetivando o desenvolvimento de políticas públicas educacionais, iniciaram-se nesse momento os primeiros diagnósticos sociolinguísticos sobre as línguas e suas comunidades de falantes das regiões de fronteira com a Argentina inicialmente e depois com o Paraguai, o Uruguai e a Venezuela.

Em 2006, através da iniciativa da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, em Brasília, o IPOL também participou da proposição para a criação do Livro de Registro das Línguas e foi um dos integrantes do Grupo de Trabalho da Diversidade Linguística (GTDL), cujas ações resultaram, em 2007, no Relatório que estabeleceu as diretrizes para os projetos-pilotos do Inventário Nacional da Diversidade Linguística (INDL). Em seguida, o INDL foi oficialmente instituído pelo Decreto nº 7.387, de 09/10/2010.

Nesse ínterim, em 2008, o IPOL também participou da realização do Censo Linguístico da Língua Pomerana em Santa Maria de Jetibá-ES, o primeiro censo dessa natureza no Brasil e uma parceria com a Prefeitura daquele município.

No âmbito do INDL, coube ao IPOL a execução, nos anos de 2009 e 2010, do projeto-piloto para o Inventário da Língua Guarani Mbyá (ILG), uma língua indígena de grande extensão territorial. Financiado pelo Ministério da Justiça e abarcando seis Estados (ES, RJ, SP, PR, SC e RS), teve seus resultados publicados no Livro-DVD Inventário da Língua Guarani Mbyá (Ed. Guarapuvu, 2011), organizado por Rosângela Morello e Ana Paula Seiffert. Além disso, o IPOL promoveu o I Encontro sobre o ILG, realizado em Florianópolis em 2011. As atividades, reflexões e encaminhamentos desse Encontro podem ser conferidos no Blog e na Revista do ILG. Como desdobramento dessas ações, em 2014 a Língua Guarani Mbya recebeu do Ministério da Cultura o certificado de referência cultural brasileira.

Também em 2011 o IPOL passou a promover a formação na área de gestão em educação linguística de fronteira para responsáveis pela educação dos países signatários do Mercosul. Nesse mesmo ano organizou, em parceria com o Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) e a União Latina, o I Seminário de Gestão em Educação Linguística no Mercosul (GELF), em Foz do Iguaçu-PR. As atividades, reflexões e encaminhamentos desse Encontro podem ser conferidos no Blog e na Revista do GELF.

Em 2012 e 2013, retomando o trabalho também realizado em 2005, o IPOL atuou na elaboração de provas para o concurso de professores indígenas em línguas guarani e kaigang para escolas do ensino fundamental e médio da rede estadual do RS. Nesse período, a partir da experiência obtida desde o PEIBF, o IPOL também desenvolveu diagnósticos sociolinguísticos em novas regiões de fronteira, no âmbito do Projeto Observatório da Educação na Fronteira (OBEDF), parceria com a CAPES, além de organizar o III Seminário OBEDF, em 2013, perfazendo 11 dos 28 municípios caracterizados como cidades-gêmeas diagnosticados pelo IPOL. As ações e encaminhamentos do OBEDF podem ser visualizadas no Blog do Observatório.

Entre 2013 e 2015, o IPOL vem desenvolvendo os projetos Receitas da Imigração – Língua e Memória na Preservação da Arte Culinária, bem como Receitas da Memória – Os Sabores da Imigração em Documentário, ambos objetivando mostrar as relações identitárias de falantes de línguas de imigração no Estado de SC. Como produtos são previstos a edição de um livro e a realização do primeiro documentário do IPOL. As ações e encaminhamentos podem ser conferidas nos blogs Receitas da Imigração e, em breve, Receitas da Memória.

Entre 2014 e 2015, o IPOL também vem executando o censo linguístico e o diagnóstico da língua Hunsrückisch na cidade de Antônio Carlos, Santa Catarina. A iniciativa está sendo realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Educação do município.

O IPOL inicia em 2015 a execução do Inventário da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), em parceria com o Núcleo de LIBRAS da UFSC, e do Inventário do Hunsrückisch (hunsriqueano) como língua brasileira de imigração, em parceria com o Projeto ALMA-H da UFRGS. Relacionadas à política do INDL de reconhecimento de línguas como referência cultural brasileira, ambas as propostas de inventário haviam sido submetidas pelo IPOL ao Edital de Chamamento Público 004/2014 – Identificação, Apoio e Fomento à diversidade linguística no Brasil – Línguas de Sinais, Línguas de Imigração e Línguas Indígenas e foram aprovadas pelo IPHAN em 2014.

Facebook

Visite site Oficial

1ºENMP (clique na imagem)

Receba o Boletim

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Nossas publicações

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo