Por uma educação plurilinguística

Em 21/03/2014 aconteceu a defesa da Tese de Doutorado na área/especialidade de Estudos da Linguagem/Linguística Aplicada, intitulada “Ações de promoção da pluralidade linguística em contextos escolares”, de Ingrid Kuchenbecker Broch sob a orientação do Prof. Dr. Cléo Vilson Altenhofen (UFRGS), cuja Banca Examinadora foi composta pelas professoras, Dra. Karen Pupp Spinassé (UFRGS), Dra. Neusa Inês Philippsen (UNEMAT) e Dra. Rosangela Morello (IPOL), na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Acesse aqui a tese na íntegra.

defesa ingrid A Tese investiga como se articulam os espaços da diversidade linguística (DL) em contextos escolares, tomando por base a análise de ações de promoção da pluralidade linguística. O termo pluralidade linguística (PL), ou plurilinguismo, é utilizado aqui para designar as competências do indivíduo em mais de uma língua, incluindo uma “postura linguística plural” (ALTENHOFEN & BROCH, 2011, p. 17), em contraposição à diversidade linguística, que representa a “coexistência de línguas diferentes, na sociedade”. Este estudo parte do pressuposto de que não constitui finalidade de uma educação básica “afunilar”, por assim dizer, a escolha por uma determinada língua, e sim “abrir o leque” de possibilidades, valorizando todo e qualquer conhecimento linguístico diverso como parte de uma “competência plurilíngue”.

O conceito mais amplo de “competência plurilíngue e intercultural” (BEACCO & BYRAM, 2007) serve, neste sentido, como fundamento de uma “educação (pluri)linguística” baseada na abordagem da “conscientização linguística” (CANDELIER et al., 2004), no ensino de línguas. Por envolver decisões sobre línguas no contexto sócio-escolar, as quais revertem em “ações de promoção da PL”, o presente estudo se desenvolve primordialmente no terreno das políticas linguísticas. Tais ações fazem parte de uma educação linguística como meta e consequência das articulações no nível da garantia de espaços e atitudes favoráveis à DL, sem, no entanto, aprofundar questões práticas de didática das línguas.

O objetivo central é compreender como se articulam os espaços da diversidade linguística em contextos escolares, tomando por base a análise de ações de promoção da pluralidade linguística. A partir da análise de dados de observação participante, de entrevistas com professores, da aplicação de questionários e de análise documental, em uma escola pública federal de Porto Alegre, chegou-se a evidências sobre a dinâmica de implementação de uma educação voltada à PL, presentes nas práticas linguísticas, nas crenças dos participantes e no gerenciamento linguístico considerados os principais componentes de políticas linguísticas (SPOLSKY, 2008). Os resultados apontam para a necessidade de abordagens/ações de conscientização linguística que levem à promoção da pluralidade linguística em contextos escolares.

As especificidades do contexto abordado, que se constituiu em laboratório experimental extremamente propício à pesquisa, sugerem a necessidade de ampliar a pesquisa a outros contextos, seja de ambientes com pouca abertura à diversidade, seja de comunidades com presença multilíngue na sociedade (bilinguismo societal). Espera-se que o estudo realizado contribua, neste sentido, para um aprofundamento das questões relacionadas às políticas linguísticas educacionais, rediscutindo o papel do plurilinguismo na educação, nos dias atuais.

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo