O incentivo peruano no uso das línguas indígenas

O governo do Peru está incentivando o uso das línguas indígenas do país como uma medida de inclusão social e econômica de seus falantes

A TV Perú está surpresa com o sucesso dos noticiários em quíchua e em aimará (Foto: TV Perú)

Filho de imigrantes europeus, o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, é fluente em espanhol, inglês, alemão e francês, mas não fala nenhuma das 47 línguas indígenas do país. No entanto, seu governo está incentivando mais o uso dessas línguas do que seus predecessores, alguns com raízes indígenas.

Em dezembro, a TV Perú, a rede de televisão estatal, começou a transmitir o primeiro programa de notícias diário na língua quíchua.Em abril deste ano, iniciou um noticiário em aimará. No dia 10 de agosto, o governo divulgou sua “política para línguas nativas”, como parte dos preparativos para a comemoração dos duzentos anos da independência em 2021.

De uma população de 31 milhões de pessoas, cerca de 4 milhões falam uma das línguas indígenas do país como idioma materno. Três quartos falam quíchua, o idioma dos incas. Os governos, tanto antes quanto depois da independência, discriminaram os falantes dessas línguas. Muitos vivem em regiões de difícil acesso nas montanhas e florestas do Peru, com altos índices de pobreza e onde o espanhol quase não é falado. Agora, o presidente Kuczynski está decidido a ampliar a inclusão social e econômica dos falantes de línguas indígenas.

Clodomiro Landeo, apresentador do noticiário em quíchua, “Ñuqanchik”, e Rita Choquecahua, apresentadora do noticiário em aimará, “Jiwasanaka”, esperam que essa iniciativa do governo ajude a eliminar o estigma que cerca as línguas não europeias e seus falantes.

A dificuldade de produzir noticiários em línguas nativas é um reflexo do isolamento e da discriminação social dos milhões de peruanos que vivem em regiões onde essas línguas predominam. Os repórteres têm problemas em encontrar funcionários do governo fluentes nesses idiomas para entrevistá-los, mesmo os de órgãos governamentais que trabalham em áreas indígenas.

A TV Perú está surpresa com o sucesso dos noticiários em quíchua e em aimará. No ano passado, sua participação no mercado do jornal televisivo aumentou de 0,5% para quase 5%, em grande parte devido às transmissões em línguas nativas. Um número crescente de empresas quer investir em publicidade nos noticiários de meia-hora exibidos no início da manhã. Em julho, a TV Perú transmitiu uma tradução simultânea de um discurso de Kuczynski em quíchua.

A emissora planeja incluir na grade de programação de 2018 noticiários em duas línguas faladas no Peru e na região amazônica, shipibo e axaninca. “Agora, sentimos orgulho de nossas origens”, disse Landeo.

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo