Inventário do Hunsrückisch como Língua Brasileira de Imigração (IHLBrI) no Sul do Brasil

Nos dias 14 a 18 de agosto de 2017, a equipe do Inventário do Hunsrückisch e do Projeto ALMA-H (Atlas Linguístico-Contatual das Minorias Alemãs na Bacia do Prata: Hunsrückisch), formada por Jussara Habel, Gabriel Schmitt, Ana Winckelmann e Paola Wollmann Inhaquite esteve no noroeste do Rio Grande do Sul para realizar a pesquisa referente ao Inventário do Hunsrückisch (Hunsriqueano) como Língua Brasileira de Imigração (IHLBrI), que tem por objetivo registrar as línguas alemãs faladas em território brasileiro.

Pesquisadores do IHLBrI.

A equipe de pesquisadores chegou à cidade de São José do Inhacorá, distante 50 km de Santa Rosa, no dia 14 de agosto. As atividades iniciais envolveram reuniões com autoridades da administração pública, aplicação de diferentes questionários e gravação de relatos em Hunsrückisch.

O prefeito Gilberto Hammes nos revelou, em Hunsrückisch, que a prioridade do seu Plano de Governo é a inserção do ensino de língua alemã nas escolas locais, no entanto, a maior barreira ainda é a falta de professor com formação na área. Com o ensino de alemão, o prefeito acredita que a língua pode receber um estímulo positivo e continuar ativa na comunidade por muito mais tempo.

Percebeu-se que a utilização da língua alemã por parte da equipe do IHLBrI facilitou a aproximação com os moradores da cidade, tanto no interior quanto no centro de São José do Inhacorá. Grande parte dos 2.205 habitantes da cidade ainda se comunica em alemão com bastante frequência e inclusive foi constatado o uso da língua em espaços públicos, como na prefeitura, no hospital, escolas e salão comunitário da igreja, mostrando que ainda há grande vitalidade linguística na cidade.

Quanto aos tipos de língua alemã, verificou-se um predomínio do Hunsrückisch do tipo Deitsch, utilizado principalmente entre os católicos, que são 80% da população local. Há uma igreja católica no centro da cidade. O Hunsrückisch do tipo Deutsch parece estar relacionado com o protestantismo luterano, cuja igreja está sendo construída no Bairro Industrial.

Entre os dias 16 ao 18 de agosto a equipe visitou Santo Cristo, a 20 km de Santa Rosa, onde também foi observado o uso do Hunsrückisch. O Secretário da Educação, Carmo Mallmann, compartilhou a preocupação com os resultados do ensino de língua alemã nas escolas. Seu questionamento é se o ensino do alemão como língua estrangeira de fato vai preservar os usos da língua fora do ambiente escolar. Mallmann chegou a comparar o ensino do alemão com o ensino do inglês, onde se tem vários anos de ensino na escola, mas não se forma falantes na língua. Isso permite importantes reflexões sobre a relação que a escola faz entre a língua aprendida em casa e a língua ensinada nas escolas.

O Hunsrückisch do tipo Deitsch é falado pela maioria católica de Santo Cristo, que ocupa as áreas centrais da cidade. Nos extremos da cidade, onde estão os protestantes luteranos, encontramos o que é chamado no local de Alemão Russo (Deutsch-russe), variedade que percebemos ser bem semelhante ao tipo Deutsch encontrado em São José do Inhacorá.

A equipe do IHLBrI agradece ao Secretário da Fazenda de São José do Inhacorá, Gilberto Ferrari, que guiou o grupo de pesquisadores pelo interior do município. Também agradece ao Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santo Cristo, que guiou a equipe pela Linha Vênus, e a todos os funcionários pelo espaço cedido para a equipe do IHLBrI que entrevistou vários falantes de alemão no local. Agradecimentos também ao funcionário do Sindicato, Argel Schenkel, que guiou a equipe pela localidade rural de Laranjeira, onde visitamos a Escola Municipal de Ensino Fundamental São Sebastião e entrevistamos uma família da comunidade. Agradecimentos à vice-prefeita de Santo Cristo, Loreci Finger Riewe, e ao prefeito de São José do Inhacorá, Gilberto Hammes, pelos riquíssimos relatos em Hunsrückisch. Por fim, a equipe IHLBrI agradece de modo especial a todos – funcionários das Prefeituras, professores das Escolas e população em geral de São José do Inhacorá e de Santo Cristo – pelo compartilhamento de conhecimentos em alemão e de histórias sobre a língua alemã e, ainda, pela calorosa recepção. Muito obrigado / Danke Scheen!

Deixe uma resposta

Receba o Boletim
Facebook
Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo