Exposição em SP aproxima língua alemã dos brasileiros

“Alemanha de A a Z” apresenta cultura e história do país europeu por meio das 26 letras do alfabeto e introduz iniciantes ao cotidiano alemão. Mostra fica em cartaz até junho no Museu da Língua Portuguesa.

Começando pelo A, de Arbeit (trabalho), e passando por U, de Umwelt (meio ambiente), a exposição “Alemanha de A a Z” aborda os mais variados temas relacionados à cultura do país: de futebol e culinária a nazismo, imigração turca e Muro de Berlim.

Com objetos, vídeos, textos e áudios, a exposição interativa introduz iniciantes à vida na Alemanha. “Serve como uma primeira aproximação”, explica Susanne Gattaz, coordenadora educativa da mostra. Apesar de ser apenas uma introdução, “Alemanha de A a Z” não deixa de apresentar aspectos negativos da história e de certos traços culturais alemães.

Na letra O, de Ordnung (ordem), por exemplo, é possível ler um comentário crítico sobre o país: “Pesquisas mostram que três quartos de todos os alemães acima de 14 anos consideram a ordem uma virtude, mas quando se trata deles mesmos, fazem vista grossa.”

Para as estudantes Beatriz e Juliane, de 15 anos, a exposição permitiu conhecer um pouco mais da Alemanha. “Só sabíamos do nazismo, porque aprendemos no colégio. Agora deu para ver que tem muito mais coisa”, disseram. Elas ficaram curiosas com a pronúncia e as músicas. “Não entendi muita coisa, mas achei legal”, conta Juliane.

Complemento à sala de aula

 

Dezenas de estudantes enchem a sala da exposição ao longo do dia. Para o diretor do Museu da Língua Portuguesa, Antonio Carlos Sartini, as visitas escolares são importantes para levar novas informações ao público.

“Os alunos passam a ter uma compreensão diferente não só da Alemanha, mas do mundo. É um país como o Brasil, com uma enorme diversidade”, diz.

Já a visitante Tânia Kuhnen, de 31 anos, acredita que a exposição deveria ser mais informativa. “Para mim, que trabalho com a língua alemã, a mostra ficou muito presa aos clichês”, afirma. A professora de alemão Maria Cristina Guedes, de 56 anos, considera que o material pode servir de apoio às aulas. “No trabalho diário abordamos mais a parte linguística, falta complementar com os costumes e a cultura.”

Além dos alunos de alemão, outro público alvo são os estrangeiros que querem viver na Alemanha. Segundo Susanne Gattaz, a exposição foi inicialmente criada para circular em território alemão. “Desde 2008, é preciso para viver na Alemanha passar em um teste de conhecimentos gerais sobre o país”, explica. Algumas das perguntas dessa prova estão presentes na mostra.

Imigração

                                           Visitantes interagem com as instalações da mostra
 
Para Sartini, é “justo” que a instituição receba uma mostra sobre a Alemanha. “O museu é também sobre a nossa diversidade, a riqueza que nós herdamos de outras culturas e línguas. A palavra chope e blitz, por exemplo, são importadas da Alemanha.”

Ele lembra também que a imigração alemã, especialmente no sul do Brasil, contribuiu para aumentar a influência da Alemanha na cultura brasileira. Sartini acrescenta que o museu já abrigou exposições sobre a França e o Japão.

Parte da Temporada “Alemanha + Brasil 2013-2014”, a exposição é uma parceria entre o Goethe Institut e o Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. No Brasil, ela já passou por Brasília, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba.

Fonte: DW noticias.

Deixe uma resposta

Facebook
Visite site Oficial
1ºENMP (clique na imagem)
Receba o Boletim
Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Nossas publicações
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo