Eventos

Primeira Mostra Pomerana no Shopping Norte Sul

Foto: Jetibá Online

A expopsição trará toda a cultura pomerana, inclusive um casamento ao vivo

O Shopping Norte Sul recebe mais uma mostra. Desta vez, a cultura pomerana será o foco da exposição. A “1ª Mostra Cultural Pomerana” será realizada entre no sábado (21) e domingo (22), das 14h às 20 horas, e vai exibir um pouco dos costumes do povo pomerano, que vive em sua maioria no município de Santa Maria de Jetibá, que fica na região serrana.

O evento, que é aberto ao público, também contará com apresentações de grupos de dança, corais de metais, de vozes, feira de artesanato com exposição de produtos da região, exposição de fotos, degustação de comidas típicas, presença da rainha e princesa pomerana, tocadores de concertina, e ainda a realização de um casamento pomerano ao vivo. Continue lendo

Jornadas Patrimoniais Santa Catarina: ciclo de debates tem início em abril

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) dará início ao projeto Jornadas Patrimoniais Santa Catarina, ciclo de debates que se propõem a abordar o Patrimônio Cultural, em diversas vertentes: Educação Patrimonial, em abril; Patrimônio Material, em agosto; Patrimônio Imaterial, em setembro; e Arqueologia, em novembro. O evento vai contar com as Bancas do Patrimônio, onde podem ser adquiridas as publicações do Iphan.

O primeiro encontro será em 13 de abril, no Museu Histórico de Santa Catarina, com a Mesa Redonda Conexões culturais: História, Geografia e Patrimônio Cultural. Participam a coordenadora de Educação Patrimonial do Iphan, Sônia Florêncio; as coordenadoras do projeto do Ponto de Cultura Engenhos de Farinha, Gabriella Pieroni e Manuela Braganholo; a coordenadora do Grupo de Pesquisa de Geografia do Turismo da Faculdade de Geografia da UFPA, Maria Goretti Tavares, e a coordenadora do Laboratório de Patrimônio da UDESC, Janice Gonçalves. Continue lendo

Exposições de arte africana ganham destaque na Bienal do Mercosul

Obras são voltadas para reflexão sobre miscigenação e migrações entre a América, África e Europa

Série de fotografias reúne retratos de mulheres da África do Sul que sofreram ataques xenófobos e homofóbicos | Foto: Zanele Muholi / Divulgação / CP

Série de fotografias reúne retratos de mulheres da África do Sul que sofreram ataques xenófobos e homofóbicos | Foto: Zanele Muholi / Divulgação / CP

Promover uma reflexão sobre a miscigenação, fluxos migratórios e o trânsito de religiões, idiomas, tecnologias e artes, que são e foram estabelecidas por meio das conexões existentes há mais de cinco séculos entre a América, África e Europa, é o que a 11º Bienal de Artes Visuais do Mercosul propõe para o público visitante.

Chamada de “O Triângulo Atlântico”, a exposição apresenta 77 artistas, sendo 21 da África, 19 do Brasil, 20 da América Latina, 11 da Europa e seis da América do Norte, além de ações pontuais realizadas em comunidades remanescentes de quilombos localizados em Porto Alegre e Pelotas. Até dia 3 de junho, as obras poderão ser conferidas no Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Memorial do RS, Santander Cultural, Praça da Alfândega, e Igreja Nossa Senhora das Dores. Continue lendo

Festival de Francofonia ocorre este mês

Mostra de cinema e shows culturais compõem a programação do evento
O Festival da Francofonia em Brasília chega à sua 21ª edição este ano e iniciou com uma extensa programação cultural. Entre as atrações está o cantor francês Mathieu Boogaerts, que fez show gratuito no CCBB Brasília.

Para este ano, o grande diferencial do festival promete ser a programação musical, com ícones da França e da Bélgica. Outra novidade é exibição de filmes inéditos no Brasil, na tradicional mostra de cinema francófona.

“Fazer um evento deste em Brasília é uma forma de defender a diversidade e plurilinguismo”afirma Mathieu Bernard, um dos organizadores do evento.

Show de Fanta Konatê une ritmos africano e brasileiro

Ancestralidade e contemporaneidade africana e brasileira se misturam em ritmos, cantos e danças, no show que a cantora, compositora e bailarina Fanta Konatê fez no teatro do Sesc Sorocaba.

A cantora, compositora e bailarina fará show ao lado de percussionistas sorocabanos – DIVULGAÇÃO

O espetáculo faz parte da programação especial do projeto “Iorubrá Quilombo: Cultura, Território e Resistência”, que acontece no mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra. O show reúne músicas autorais, em malinkê e sussú, línguas faladas na Guiné Conacri, que tratam de temas sociais atuais, baseados na realidade da África Ocidental e do Brasil, e sobre reflexões para o ser humano, como a valorização dos laços familiares, o exercício da solidariedade, o respeito à natureza e o desapego a bens materiais. “São músicas com mensagens universais, sobre valores que merecem serem compartilhados com todo mundo”, afirma a cantora.

Já a sonoridade das faixas mescla instrumentos como guitarra, violão, saxofone e bateria com djembê, tambor originário de Guiné Conacri, que alcança uma grande gama de sons diferentes.

Fanta, aliás, é filha de Djembefolá Famoudou Konatê, considerado o maior mestre vivo do instrumento em todo o mundo.

As músicas, inéditas, farão parte do primeiro DVD de Fanta Konatê e a Troupe Djembedon, banda que entre seus integrantes tem os percussionistas sorocabanos Barba Marques, Manu Batista e Fábio Serra. O álbum gravado ao vivo, ainda sem título, será lançado em março e está disponível para pré-venda pelo site www.embolacha.com.br.

Além de ocorrer na data em que é comemorado o Dia da Consciência Negra, Fanta Konatê, nascida em Guiné Conacri, na África, destaca que o show também é especial porque celebra seus 15 anos de carreira no Brasil. “Depois que eu cheguei ao Brasil, o primeiro show que fiz foi no Sesc Sorocaba [antes da inauguração do prédio, em 2012, o palco da unidade ficava em uma tenda provisória]. É a realização de um sonho e uma alegria enorme poder voltar”, comemora a artista, que veio morar no país depois de se casar com o percussionista brasileiro Luis Kinugawa, que também faz parte do grupo.

Além de cantora, compositora e bailarina, Fanta é fundadora do Instituto África Viva em São Paulo. Foi arte-educadora das ONGs Medecins Sans Frontiers e Enfants Refugiées du Monde, que assiste adolescentes que moram na rua e refugiados de guerra na Guiné.

Fanta também trabalhou em projetos sócio culturais no Brasil, como Fábricas de Cultura, Meninos do Morumbi, Quitutes e Batuques, e recebeu o Prêmio Luíza Mahin da Prefeitura de São Paulo em reconhecimento ao seu trabalho de difusão da cultura africana. Atualmente, a artista está construindo a ONG Instituto África Viva em Conacri, capital da Guiné, que visa promover a educação e ações de desenvolvimento humano sustentável, de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Fonte: Jornal Cruzeiro

O Dia Internacional da Língua Materna

No dia 21 de Fevereiro, comemora-se em todo mundo o Dia Internacional da Língua Materna, uma data instituída pela UNESCO, há dezanove anos, e que lembra a responsabilidade que os Estados, as instituições e as pessoas têm de promover o multilinguismo, a diversidade linguística e cultural.

Em Angola, há um largo segmento da população que possui uma das línguas nacionais como materna, razão pela qual há a protecção constitucional reservada pelo Estado. Não há dúvidas de que há igualmente um grande segmento da população angolana, cada vez mais crescente,  que não fala nenhuma das línguas nacionais e que têm o português como língua materna.
A Carta Magna, no seu artigo 19. º, dispõe no seu número dois que “o Estado valoriza e promove o estudo, o ensino e a utilização das demais línguas de Angola, bem como das principais línguas de comunicação internacional”. E embora haja o “guarda-chuva” protector da Constituição da República, na verdade, há ainda um longo caminho a percorrer para alcançarmos metas de satisfação relativamente à preservação,  uso e continuidade das línguas nacionais.  Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo