Entrevistas

Projeto “Bilinguismo teuto-brasileiro: um estudo comparativo entre Brasil e Alemanha”

O projeto “Bilinguismo teuto-brasileiro: um estudo comparativo entre Brasil e Alemanha” tem como objetivo analisar as competências textuais de alunos do Ensino Fundamental, no caso do Brasil, e alunos do Mittelstufe, no caso da Alemanha, na sua primeira e segunda língua.  O projeto é realizado sob a Coordenação da Professora Dra. Maristela Pereira Fritzen, do Dpto. de Letras da Universidade Regional de Blumenau em parceria com a Profa. Dra. Claudia Maria Riehl, diretora do Instituto de Alemão como Língua Estrangeira da Ludwig-Maximilians-Universität München (Universidade de Munique Ludwig-Maximilians), da Alemanha e acontece até novembro desse ano.

Conheça mais sobre o projeto na reportagem abaixo.

Fonte: Prof Dra. Maristela Pereira Fritzen

“O Português é identificado como uma das mais importantes línguas regionais”

mundoNum país onde há uma crescente perceção de que o Português é uma língua que atribui um valor acrescentado aos currículos daqueles que a dominem, 41% dos alunos do EPE já são sul-africanos e de outras nacionalidades. Tem crescido o interesse em todos os níveis de ensino e o novo adjunto da coordenação do EPE acredita que este irá aumentar com a integração das aulas de Português no currículo e dentro do horário normal. Algo que será uma realidade já a partir de fevereiro de 2017, para o 8º ano de escolaridade na Assumption Convent High School, em Germiston, revelou Carlos Gomes da Silva nesta entrevista.

O que o motivou a assumir o cargo de adjunto da Coordenação do EPE na África do Sul?
Em primeiro lugar, entusiasmou-me muito a perspetiva de poder voltar a trabalhar na África do Sul e países vizinhos, região que conheço bem  e da qual guardava e mantenho excelentes memórias e uma valiosa experiência pessoal, humana  e profissional. Depois, tenho uma longa experiência como docente de Português língua Segunda/Estrangeira e de Herança, a todos os níveis de ensino, em três diferentes continentes, em diferentes países (Portugal, Holanda, África do Sul, Canadá e Brasil):
Na Holanda (entre 1974 e 1985), lecionei cursos de ensino básico e secundário no sistema paralelo e integrado, assisti e participei na discussão e na reflexão sobre o bilinguismo em contexto de imigração. Interessei-me pela questão da aquisição e manutenção da língua portuguesa entre os lusodescendentes na Holanda, tendo-as estudado num trabalho para um seminário do programa de doktoraal em psico e sociolinguística  que concluí na Universidade de Utreque.
Na África do Sul (entre 1985 e 1991), como docente na Universidade da Cidade do Cabo, montei um programa de Português integrando cursos de cultura e de literatura dos PALOP, no contexto da emergência destas novas culturas e literaturas que a Universidade achava importante para o futuro, com a concordância do então ICALP. Os 12 anos de experiência na África do Sul foram determinantes para a minha formação, enriquecimento pessoal, humano e profissional, e, sobretudo, para compreender melhor África, bem como a importância estratégica, cultural e política da língua portuguesa no pós-apartheid na África Austral.
No Canadá (de 1997 a finais de julho de 2016), comecei por lecionar na Universidade de Otava em 2002, como professor adjunto, na sequência de diligências que efetuei na minha qualidade conselheiro social e cultural  na Embaixada de Portugal em Otava, para que a Universidade reintroduzisse o ensino de Português. A partir de então, empenhei-me na consolidação do Ppograma de português e no aumento do número de alunos (tínhamos, em média, entre 100 e 150 alunos por semestre, inscritos nos vários cursos semestrais do Programa de Português).  A pedido da Reitoria da Universidade de Otava, estabeleci contatos e  negociei protocolos de intercâmbio com universidades portuguesas e brasileiras.
Nos últimos anos, tenho-me dedicado à investigação e produção de materiais para o ensino do português como língua segunda/estrangeira e de herança, com a colaboração de colegas brasileiras da Universidade de São Paulo. Estão em fase de revisão os manuais de Português Pt/Br para os níveis C1 e C2,  que integram as variantes europeia e  brasileira, organizados por temas culturais, comuns e transversais aos vários países de língua portuguesa, tendo como público alvo  estudantes universitários e executivos. Continue lendo

Rosângela Morello fecha ciclo de Entrevistas sobre Gestão do Multilinguismo no MERCOSUL

Para fechar a Série de Entrevistas sobre a gestão do Multilinguismo no MERCOSUL, Rosângela Morello, atual Coordenadora do IPOL, Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento em Política Linguística, fala sobre o CIPLOM e como as línguas do MERCOSUL regional podem agir no fortalecimento da integração. Como línguas do MERCOSUL regional são conhecidas as línguas que foram cooficializadas ao longo dos últimos anos de documentação e propostas de gestão.

Rosângela Morello enfatiza a importância das políticas de gestão do multilinguismo que, no Brasil, já alcançam 19 municípios com 11 línguas cooficiais e culminaram com o Inventário Nacional da Diversidade Linguística (INDL), um instrumento oficial de identificação, documentação, reconhecimento e valorização das línguas faladas pelos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira.

No evento, ofereceu minicurso Política linguística: cooficialização, inventário e desafios na gestão das línguas, ao lado da também pesquisadora do IPOL, Ana Paula Seiffert.

Acesse o depoimento na íntegra:

Conheça outros professores e pesquisadores que estiveram no CIPLOM/EAPLOM, colaborando com a discussão sobre gestão do Multilinguismo no MERCOSUL. Acesse o Blogue do evento.

Agradecemos ao leitores que acompanharam as postagens. Em breve,  mais registros sobre o CIPLOM/EAPLOM.

Fonte: IPOL Comunicação

“Promover a integração do Português nos currículos das escolas alemãs é o nosso principal objetivo”

o_article_64383A ligação de Rui Azevedo ao Camões, I.P. começou há 20 anos, mas nos últimos 12 anos dedicou-se a dinamização do ensino da Língua Portuguesa em África, primeiro enquanto leitor em Moçambique e depois como coordenador na África do Sul, Namíbia, Suazilândia e Zimbabué. Agora chegou a hora de abraçar um novo desafio: em julho último, Rui Azevedo iniciou funções como coordenador do Ensino Português na Alemanha, país onde crê que o futuro passa por valorizar a imagem do Português Língua de Herança nas escolas alemãs “de modo a que o ensino da Língua Portuguesa (pelo Estado Português) seja progressivamente reconhecido como parte integrante da oferta das escolas”.

Continue lendo

Profa. Edleise Mendes, na Série “Políticas de gestão do multilinguismo e integração regional”

O depoimento de hoje é da Professora Edleise Mendes, que fez parte da Comissão organizadora do III CIPLOM. Edleise Mendes é professora adjunta da Universidade Federal da Bahia (UFBA), onde atua na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC). Também é presidente da Sociedade Internacional de Português Língua Estrangeira – SIPLE  desde 2011, articulando ações para a promoção, a difusão e a projeção do português no mundo.

A profa. Edleise Mendes coordenou, no evento, o simpósio Formação de professores de Língua e Integração na America Latina no qual falaram Iradé Antunes (UFCE), Márcia Paraquett (UFBA) e Nélida Sosa (Inst. Ens. Sup. “Juan Ramón Fernandez”, Argentina).

Durante sua fala, a pesquisadora apresenta alguns dos questionamentos que realiza em seus estudos e que também compartilhou no III CIPLOM/EAPLOM: “Como o espaço latino-americano pode ser um diálogo intercultural? De que modo as nossas ações políticas podem impactar as práticas e projetos educacionais em prol da integração latino-americana?

O papel das línguas na integração, ressalta a Profa. Edleise, “não á apenas propor um diálogo intercultural objetivo, mas um diálogo simbólico, de representação e de reforço de nossas identidades”.

Assista à entrevista completa:

 

Saiba mais sobre  o Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC), as linhas de pesquisa e projetos onde atua a professora e pesquisadora.

Fonte: IPOL Comunicação

Prof. Lino João de Oliveira Neves da UFAM, no III CIPLOM/EAPLOM 2016

A entrevista que compartilhamos hoje é do Prof. Lino João de Oliveira Neves, que atua na UFAM, Universidade Federal do Amazonas, no Curso Licenciatura Indígena – Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável. O Prof. Lino destacou, durante o III CIPLOM/EAPLOM, a relevância de pensarmos a língua como um importante e fundamental componente da cultura. E são as línguas, seus povos e culturas em contato, em articulação, que podem apoiar e fortalecer a integração latino-americana.

Confira a entrevista com Prof. Nilo:

 

Saiba mais sobre a Licenciatura Indígena da UFAM, visitando o site.

 

Fonte: IPOL Comunicação

 

 

Receba o Boletim

Facebook

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo