Algumas festas tradicionais que você precisa conhecer em Rondônia

Um exemplo é a Festa do Divino Espírito Santo no Vale do Guaporé – fronteira do Brasil com a Bolívia, no estado de Rondônia – é o segundo festejo religioso mais antigo da Amazônia, superado apenas pelo Círio de Nazaré, em Belém do Pará.

1) FESTA DO DIVINO – Acontece em fins de março e abril. Uma mistura do profano e o sagrado, evento com origem portuguesa abraçado pelos afro-descendentes há mais de 120 anos. São mais de quarenta dias com os romeiros percorrendo as águas do Guaporé  em batelões.

A Festa do Divino Espírito Santo no Vale do  Guaporé – fronteira do Brasil com a Bolívia, no estado de Rondônia – é o segundo festejo religioso mais antigo da Amazônia, superado apenas pelo Círio de Nazaré, em Belém do Pará. Ao contrário de similares que acontecem em vários estados brasileiros, no Guaporé não existe cavalhada ou luta entre “mouros” e “cristãos”, sendo o deslocamento feito todo por via fluvial. Trazida para o Guaporé da região de Cuiabá em 1894, a Festa do Divino visita as comunidades brasileiras e bolivianas ao longo dos rios Guaporé e Paraguá.

Os cânticos dos fiéis e as manifestações espontâneas de fé são “atrações” à parte a cada desembarque. Os remadores atuam em perfeita sincronia ao remar, soltam fogos e vestem-se todos iguais segundo as tradições da irmandade. A cada comunidade visitada, os barcos soltam foguetes, os fieis se aproximam do rio, cantam, beijam a bandeira e saem em marcha para participarem de um jantar oferecido pela comunidade, há também uma missa em cada lugarejo. É muito bonito e expressivo.

2) ARRAIAL FLOR DO MARACUJÁ – Evento que reúne elementos das culturas amazônicas e nordestinas (Rondônia está na Amazônia mas foi povoado também pelos nordestinos nos ciclos do látex durante as duas guerras mundiais).

Realizado em Porto Velho, no Parque dos Tanques, há 37 anos, a Mostra de Quadrilhas e Bois Bumbás “Arraial Flor do Maracujá”, conta com a participação de cerca de 40 grupos folclóricos.

Uma grande miscelânea  de cores, músicas compostas pelos próprios grupos, cenografia, figurinos, adereços que emocionam pela grandeza e singularidade do evento que movimenta comunidades inteiras na fabricação dos elementos. O público nos 14 dias de arraial costuma superar as 50 mil pessoas. O evento é agendado para ocorrer em junho, mas varia no calendário de cada ano.

3) FESTA POMERANA – ou Pomer Fest. Evento realizado anualmente em julho, durante dois dias, movimenta o turismo no município de Espigão do Oeste, a 539 Km da capital de Rondônia. Há uma variante na língua falada, uma vez que o povo predominante é o capixaba, de origem alemã, que fala um dialeto denominado pomerano.

A festa é rural, realizada em local aberto na Feira do Produtor  e apresenta shows musicais à base de concertinas (instrumento musical típico), danças folclóricas, culto luterano celebrado na língua, comidas típicas (destaque à linguiça) e muito chopp. Outro ponto de destaque é o casamento pomerano em que os noivos se casam de preto num rito bem diferente do tradicional. Em algumas festas, são celebrados os casamentos.

O festejo reúne pessoas de vários municípios do estado, para conhecer a manifestação. Espigão do Oeste tem 33 mil habitantes e estima-se que mais da metade da população seja de descendentes de pomeranos, os quais mantêm a cultura viva, lembrando a chegada de seus antepassados ao Brasil, destacando que Rondônia abriga a maior colônia deste povo na região Norte.

Fonte: Júlio Olivar/NewsRondônia

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Revista Platô

Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo