Abertura do Seminário Inventário LIBRAS

Iniciou hoje, 08 de Maio de 2017, o Seminário LIBRAS

Mesa de abertura do Seminário do Inventário LIBRAS

Mesa de abertura do Seminário do Inventário LIBRAS

Na manhã dessa segunda-feira, teve início o Seminário do Inventário Nacional da LIBRAS.

A mesa de abertura contou com representantes das três instituições responsáveis pela realização do Inventário: Regina Helena Meirelles Santiago, Chefe da Divisão Técnica da Superintendência do IPHAN em Santa Catarina, Rosângela Morello, Coordenadora Geral do IPOL e Marianne Stumpf, Chefe do Departamento de Libras da UFSC. As convidadas apresentaram ao público a importância desse evento no cenário nacional de promoção das línguas pelo INDL, considerando o papel das instituições por elas representadas .

Após a abertura, foi composta a mesa-redonda: INVENTÁRIO NACIONAL DA DIVERSIDADE LINGUÍSTICA, com Regina Helena (IPHAN), Ana Paula Seiffert e Cintia Vilanova, Coordenadora Executiva e Gestora Executiva do IPOL, respectivamente, em especial no Inventário LIBRAS, e Ronice Quadros, Coordenadora da Produção e Pesquisa em LIBRAS/UFSC.  Foram tematizados aspectos históricos e metodológicos da política do INDL, além dos desafios implicados no processo de execução do Inventário da LIBRAS.

Para a participação do seminário foram convidados 27 surdos de referência que atuam diretamente na promoção da LIBRAS nas cinco diferentes regiões do país. Além deles, nesse primeiro dia, puderam participar professores, estudantes e interessados no tema. Assim, o auditório Henrique Fontes, do CCE/UFSC esteve completamente cheio durante todo o dia.

Participantes do Seminario Inventário LIBRAS

Participantes do Seminario Inventário LIBRAS

O IPOL teve a honra de levar aos representantes da comunidade surda nacional ali presentes um pouco da sua atução com Inventários, Censo e Diagnóstico Linguísticos, trazendo um histórico da sua atuação na criação e promoção de políticas linguísticas, em especial, no âmbito do INDL. Além disso, compartilhou uma reflexão sobre as especificidades dos projetos de Inventário de Linguas diante do cenário dos convênios federais, levando em conta a metodologia proposta pelo Guia, os aspectos essenciais de cada língua inventariada, bem como os desafios da gestão do recurso e elaboração dos produtos dos pojetos.

A Professora Ronice Quadros complementou a mesa com a palestra “SURDOS DE REFERÊNCIA: O QUE ISSO SIGNIFICA?”, apresentando a esses convidados a importância da presença de todos tanto no Seminário como no próprio Inventário LIBRAS, uma vez que receberão formação sobre a metodologia do Inventário para que seja replicada em suas localidades e adaptada às suas realidades.

Após as falas, foi aberto o debate e todos puderam externalizar as suas vontades, expor um pouco da sua realidade em relação a língua e também propor sugestões para possíveis desdobramentos do projeto.

No período da tarde, iniciaram-se as mesas com os Surdos de Referência convidados, nas quais apresentaram com mais tempo e detalhe as suas realidades e demandas dentro do cenário de uso e promoção da LIBRAS. Foram duas mesas diferentes: 1) LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS E EDUCAÇÃO DE SURDOS NA REGIÃO SUL e 2) LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS E EDUCAÇÃO DE SURDOS NA REGIÃO NORDESTE. Ainda estamos no primeiro dia do Seminário e muito já se produziu. Amanhã, mais ações e reflexões serão compartilhadas durante todo o dia.

Mesa-redonda INVENTÁRIO NACIONAL DA DIVERSIDADE LINGUÍSTICA

Mesa-redonda INVENTÁRIO NACIONAL DA DIVERSIDADE LINGUÍSTICA

Deixe uma resposta

Facebook
Visite site Oficial
1ºENMP (clique na imagem)
Receba o Boletim
Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Nossas publicações
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo